Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Violência

Assaltante rouba carro de Uber, reage durante perseguição e é morto pela Polícia

Confronto aconteceu nas Mercês, na manhã deste sábado (12), e assustou vários motoristas

  • Giselle Ulbrich, da Tribuna de Paraná
 |
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Um roubo de carro no Campina do Siqueira, contra um motorista da Uber, terminou em perseguição e confronto nas Mercês, no início da manhã deste sábado (12). O assaltante bateu o carro roubado, desembarcou atirando e foi morto no revide dos policiais.

A vítima do assalto é parceiro da Uber, conforme explicou seu cunhado, o representante comercial Aguilar Andrade, de 38 anos. O jovem motorista, dono de um Citroen C4 preto, havia trabalhado a noite toda e recebeu um chamado pelo aplicativo, para pegar um cliente na Rua Padre Agostinho. Enquanto estava parado esperando o cliente, por volta das 7h30, provavelmente última corrida antes de ir para casa descansar, o motorista foi abordado pelo ladrão. 

Imagens de câmeras de segurança de prédios próximos mostram quando um Celta branco chega e estaciona perto do C4, o assaltante desce e vai andando pela calçada, até abordar o motorista da Uber. Aponta a arma para a vítima, manda entregar celular, aliança, a carteira, a chave do carro e desembarcar. 

 O jovem obedeceu e o ladrão foi embora com o carro e os pertences, sem machucar a vítima. Aguilar e o cunhado não sabem dizer se foi o próprio ladrão quem chamou o motorista da Uber pelo aplicativo, ou se ele apenas aproveitou-se do momento em que o motorista aguardava o cliente. 

Segundo o capitão Luiz Fernando de Barros, oficial supervisor do 12° Batalhão da PM, o ladrão e o Celta branco fugiram em direção à Avenida Manoel Ribas, nas Mercês. Mas como o roubo já foi comunicado rapidamente à polícia, uma equipe que estava no Largo da Ordem seguiu em patrulhamento e deparou-se com o veículo roubado na Rua Padre Agostinho. Houve perseguição por poucas quadras, até que o ladrão tentou entrar na contramão da Rua Presidente Taunay, onde bateu o C4 contra um poste. 

Confronto 

Conforme testemunhas, o bandido já desceu do carro atirando contra os policiais que, no revide, mataram o ladrão. O psicólogo Matheus Guedes, 27 anos, chegava para trabalhar numa clínica, próximo à esquina do acidente, e viu tudo de perto. Ele viu o carro bater, o marginal sair do C4 empunhando uma arma e morrer. Ele conta que foi um susto enorme para ele e para os motoristas que seguiam pela Rua Padre Agostinho. “Os motoristas iam parando, assustados. Teve um carro branco que parou, o motorista deu uma ré bem ligeiro e parou mais pra lá da metade da quadra. Ficou uns 10 minutos parado e depois que viu que as coisas acalmaram, foi embora”, relatou Matheus. 

 Um revólver calibre 38 foi recolhido junto com o assaltante e encaminhado ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul), junto com um documento de identidade que ele portava no bolso. Os policiais não revelaram o nome que estava na identidade, pois preferiram primeiro checar, através das digitais, se pertence ao assaltante. O capitão ainda contou que o Celta branco passou pelos policiais na hora do confronto. Mas, até então, não se sabia que o veículo tinha relação com o crime. 

Lua de mel 

A vítima do assalto morava em Belo Horizonte (MG), onde se casou em abril do ano passado. Ele e a esposa vieram passar a lua de mel em Curitiba, na casa do cunhado. Encantaram-se com a cidade e se mudaram para cá há quatro meses. Antes da mudança, ele já trabalhava com a Uber em Belo Horizonte, há três meses.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE