Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

lula preso em curitiba

Bloqueios na região da PF confundem motoristas; saiba onde estacionar

Quem tem serviço agendado, como retirada ou renovação do passaporte, corre o risco de perder o horário por falta de vagas de estacionamento

  • Alex Silveira, especial para a Gazeta do Povo, Angieli Maros, e Cecília Tümler
 | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Motoristas que vão até a sede da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba, onde está preso o ex-presidente Lula (PT), enfrentam dificuldade para encontrar vagas nas proximidades do prédio. Com o esquema de segurança montado, a maioria das ruas que permitiam a parada de veículos está bloqueada. Por isso, quem tem serviço agendado na PF, como retirada ou renovação do passaporte, corre o risco de perder o horário, caso não chegue com antecedência ao loca, ou até ser multado.

Confira abaixo onde estacionar na região da PF

Na manhã desta sexta, cinco motoristas tiveram os carros guinchados na região da PF. A Superintendência de Trânsito de Curitiba (Setran) informou que os veículos foram removidos em uma operação em conjunto com a Guarda Municipal. Ainda segundo a Setran, dos cinco veículos removidos, quatro foram por problema no licenciamento e um por estacionamento irregular. No total, foram dez autos de infração foram lavrados no entorno da PF nesta sexta, mas não a prefeitura não soube informar se os veículos eram de moradores, manifestantes ou de pessoas que precisavam dos serviços da PF.

Veja também: Integrantes do MST são xingados em Curitiba e reagem com “abacatadas”; veja o vídeo

Uma das pessoas que enfrentou esse problema foi a pesquisadora Fabíola Montagner, 52 anos. Ela tinha horário agendado para renovar o passaporte na manhã desta sexta-feira (13), foi até a sede da PF de carro e quase perdeu a hora. “Por pura sorte, acabei saindo de casa mais cedo”, conta. “Por causa do bloqueio, não pude sair da via rápida e entrar logo à direita na rua da Polícia Federal. Policiais me mandaram seguir em frente. Estacionei na quadra seguinte, em uma rua que não tem meio fio, desci do carro, um morador me alertou que os policiais estavam multando e guinchando ali. Voltei para falar com os policiais para confirmar. Tive que tirar o carro e achar outra vaga para estacionar. Quando vi, dei uma baita volta e só consegui parar na Avenida Paraná. Até chegar na PF a pé, contornando o acampamento dos manifestantes, já tinha se passado meia hora nesse vai e vem”, reclama.

Leia também: Por transtornos no Santa Cândida, prefeitura de Curitiba pede que Lula seja transferido da sede da PF

Dentro da PF, no entanto, Fabíola disse que o atendimento ocorreu normalmente. “Não tive problema. Passei pelo bloqueio com o comprovante do agendamento, fiz o que tinha que fazer e fui embora. Meu carro estava onde deixei, sem multa”.

Multas para os manifestantes

Além de quem busca serviços na PF, os casos de multas na região também acontecem aos manifestantes pró-Lula que chegam para integrar o acampamento. Um guarda municipal que trabalha em um dos bloqueios de ruas do entorno na região, por exemplo, afirma ter emitido cerca de 30 multas para estacionamento irregular durante a quinta-feira (12) e, segundo ele, a maioria era manifestante.

Uma moradora da Rua José Antônio Leprevost, a duas quadras do prédio da Superintendência, confirma que, além da Guarda Municipal, pelo menos dois carros da Setran têm circulado pela região multando dezenas de veículos. “O que os manifestantes não podem é pensar que isso é algum tipo de perseguição, porque, uma vez, um parente meu deixou um carro estacionado na calçada e também foi multado. É a lei”, opina a moradora, que não quis se identificar.

Onde estacionar

A reportagem da Gazeta do Povo levantou sugestões de locais para estacionar que facilitam a vida dos motoristas que precisam ir até a PF:

Avenida Paraná – o motorista que estacionar na Avenida Paraná, estará mais próximo da PF no trecho entre a Rua Professora Sandália Monzon e Rua João Gbur. Caminhando a pé pela Sandália Monzon, são duas quadras até a PF, passando por dentro do acampamento de militantes do Movimento Sem Terra (MST) .

Para contornar o acampamento, o caminho a pé deve ser feito pela João Gbur, em direção à Rua Mariano Gardolinski. Esse trecho é mais longo, equivalente a pelo menos três quadras.

Rua José Antônio Leprevost – esta rua não tem bloqueios e há vagas de estacionamento, porém, para chegar a pé até a PF pelo caminho mais curto, é preciso seguir pela Rua Guilherme Matter, passando por dentro do acampamento dos militantes.

Para contornar o acampamento, nesse caso, o trecho a pé a ser seguido é pela João Gbur. São três longas quadras caminhando até a Sandália Monzon, rua da PF.

Onde há bloqueios para os carros

Rua João Gbur x Rua Professora Sandália Monzon

Rua João Gbur x Rua Mariano Gardolinski

Rua Guilherme Matter x Rua Dr. Barreto Coutinho

Rua Mariano Gardolinski x Rua Maria Noemia dos Santos

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE