Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Economia

Fechar
PUBLICIDADE

paralisação

Greve dos caminhoneiros perde força no país

No Paraná, bloqueios vão custar R$ 5 mil por hora por caminhoneiro, de acordo com liminar judicial. Última manifestação foi encerrada às 11h20, em Manoel Ribas

  • Atualizado em às
Policiais desmontaram o bloqueio na BR-376, em Apucarana, depois de 48 horas de interdição parcial |
Policiais desmontaram o bloqueio na BR-376, em Apucarana, depois de 48 horas de interdição parcial
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A decisão pela aplicação de multas aos caminhoneiros que promoverem bloqueios nas estradas brasileiras esvaziou a paralisação dos motoristas. Na esfera federal, a penalidade será aplicada por medida provisória e prevê multa de R$ 5.746 por dia de bloqueio. Já para organizadores de obstruções, a punição será de R$ 19.154. Em ambos os casos, a reincidência dobra o valor cobrado. E as multas têm que ser pagas no momento do licenciamento do veículo.

No Paraná, a liminar concedida pela juíza Ana Carolina Morozowski, da 3.ª Vara Federal de Curitiba, na noite desta terça (10), determina multa de R$ 5 mil por hora para o motorista que “ocupar, obstruir ou dificultar a passagem” de outros veículos.

Na manhã desta quarta-feira, 11, terceiro dia de greve, as manifestações se concentravam no Sul do país. Por volta das 9 horas, policiais rodoviários federais desmontaram o único bloqueio parcial em rodovias federais que ainda estava ativo no país, na BR-376, em Apucarana. Foram 48 horas de interdição parcial da estrada, a mais longa desde que a greve começou.

Ainda havia ponto de bloqueio na PR-466, km 145, em Manoel Ribas, com passagem liberada para carros de passeio, ambulância e ônibus. Mas a manifestação no local foi encerrada às 11h20, conforme o boletim de atualização da Polícia Rodoviária Estadual.

Na atualização das condições das rodovias, às 9 horas, o boletim da Polícia Rodoviária Federal informava sete pontos de manifestações no Rio Grande do Sul, sem interdição do trânsito, e um em Santa Catarina, com concentração de caminhoneiros no acostamento na BR-116, km 54, em Papanduva.

Outros quatro estados também registravam manifestações de caminhoneiros. Dois pontos em Minas Gerais, com interdição parcial apenas na BR-381, no km 369, dois no Mato Grosso, ambos com retenção de veículos de carga nos kms 170 e 50 da BR-158; um no Mato Grosso do Sul e dois no Tocantins, com bloqueio total na BR- 153, km 240 e parcial na BR-242, km 5.

Às 11 horas, em nova atualização dos pontos de manifestação, a PRF notificava 12 trechos com manifestações de grevistas. Minas Gerais e Santa Catarina foram desmobilizados, além de interdição total na BR- 153, no Tocantins. Na Bahia, na BR-20, km 195, manifestantes fecharam totalmente a rodovia.

No fim da tarde de terça-feira, 10, o boletim nacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostrava 24 pontos de manifestações no país, 15 deles com bloqueio parcial.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais