Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Amor é simples

Startup gaúcha cresce com vestidos de noiva a partir de R$ 399

O Amor é Simples tem vestidos a partir de R$ 399, para atender um mercado de noivas que abrem mão da pompa exacerbada

  • Naiady Piva
O Amor É Simples tem coleção própria de vestidos |
O Amor É Simples tem coleção própria de vestidos
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Com vestidos de noiva a partir de R$ 399, uma startup gaúcha tem conquistado espaço no mercado de casamentos. O Amor É simples surgiu como uma alternativa para noivas não tradicionais, que têm o sonho de celebrar um casamento; mas sem pompa ou extravagância. No último ano, a empresa cresceu a um ritmo de 10% ao mês. E projeta para 2018 bater na casa do R$ 1 milhão.

LEIA TAMBÉMStartup brasileira lucra com “cadáver de mentirinha” que fala e se mexe

Com coleções que variam de R$ 399 a R$ 1,4 mil, O Amor É Simples pratica preços abaixo da média do mercado. Uma pesquisa da plataforma Quem Casa Quer Site, de 2015, estimou que o gasto médio com vestidos de noiva é de R$ 2,6 mil. 

O ticket médio das clientes da O Amor É Simples é de R$ 1 mil. "É muito competitivo, se comparar com um preço médio de aluguel que fica na casa dos R$ 2,5 mil", argumenta Natália Pegoraro, uma das fundadoras da loja. 

Além da loja virtual, O Amor É Simples possui confecção própria. São duas coleções lançadas por ano, assinadas por uma estilista que é sócia da marca. 

"A gente não tem data de lançamento, não seguimos semanas de moda. Os lançamentos são mais com base no que as noivas pedem, sempre com um design bonito, mas simples. Que ela se sinta bem e confortável", explica Natalia. 

A ambição da marca é "revolucionar a indústria" dos casamentos. Parece ambicioso, para uma empresa que fechou 2017 na casa dos R$ 380 mil, reconhece a empreendedora. "Mas a gente vê que é uma indústria pouco inovadora, parou no tempo".

Da necessidade veio a oportunidade 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/02/02/Economia/Imagens/Cortadas/Foto Sócias-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Janaina, Natalia e Lais, fundadoras da startup Divulgação/O Amor É Simples

A ideia de vender vestidos de noivas bonitos, mas simples e a um preço razoável veio da necessidade. Natália e Laís Ribeiro se conheciam da faculdade, e ficaram noivas na mesma época. E se viram reféns de uma indústria que pratica "margens abusivas" e empurra "um milhão de coisas" como obrigatórias para ter uma cerimônia feliz, como Natália lembra. 

Para o vestido, queriam uma opção do famoso "bom, bonito e barato". Mas não achavam nada. Assim como elas, imaginaram que outras noivas teriam o desejo de fazer uma cerimônia mais simples. "Hoje as noivas querem celebrar, mas também quem gastar o dinheiro para viajar, mobiliar a casa, estudar. Fazer outras coisas". 

O e-commerce foi a solução mais barata encontrada. Com apenas R$ 10 mil — e a ajuda da sócia Janaína Pasin, administradora de empresas — montaram a primeira coleção e começaram a vender pela internet. Natália e Laís são relações públicas, e têm experiência com marketing digital e performance em grandes empresas do Rio Grande do Sul. 

Showroom: a cara física do sonho 

Depois de quase três anos em funcionamento, O Amor É Simples enfrenta o desafio de migrar do digital para o físico. A marca criou um showroom em Porto Alegre, que deve ter uma inauguração oficial em março deste ano, mas já está funcionando. 

As empresárias notaram que a taxa de conversão é muito maior quando a cliente tem a oportunidade de experimentar. A expansão deve seguir este caminho. A meta é abrir um espaço físico em São Paulo ainda no primeiro semestre. E um terceiro, até o fim do ano, em local a ser definido. 

A meta é fechar o ano com faturamento de R$ 1 milhão. Para chegar lá, a startup acaba de receber um investimento semente da CEO da agência de marketing ID/TBWA, Camila Costa.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE