Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

telecom

Furukawa vai investir R$ 43 milhões na América Latina em 2018, a maior parte em Curitiba

A maior parte do investimento, cerca de 70%, será aplicada para modernização da fábrica de cabos ópticos em Curitiba

  • Jéssica Sant’Ana
 | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A fabricante japonesa de cabos ópticos Furukawa, que tem uma planta industrial instalada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), vai investir R$ 43 milhões neste ano nas suas fábricas na América Latina. A maior parte do investimento, cerca de 70%, será aplicada para modernização da fábrica em Curitiba. O restante do será investido nas demais unidades no Brasil e na Colômbia e na Argentina. Somente na capital paranaense serão criados 300 novos postos de trabalho até o fim do ano.

A fábrica em Curitiba está passando por um processo de modernização. Há dois anos, a Furukawa saiu do mercado de fabricação de cabos de cobre de telefonia para se dedicar à produção de cabos ópticos para redes internas e externas. Isso vem demandando investimentos em novas máquinas, tecnologias e laboratórios de testes.

Esses investimentos vão continuar a acontecer na planta em Curitiba ao longo deste ano. A expectativa é terminar a troca do maquinário antigo por tecnologias e equipamentos mais modernos até o fim de 2018. A empresa não revela números de produção, apenas o objetivo é crescer 17% na América Latina em todas as áreas que atua.

A reforma, porém, não vai demandar uma ampliação física da fábrica de cabos ópticos. Como os equipamentos antigos são grandes, a saída deles está liberando espaço para o novo maquinário, que é menor. Além disso, está havendo uma otimização do espaço.

Nova fábrica e centro de distribuição

Além da modernização da planta de cabos ópticos que começou há dois anos e vai até o fim de 2018, a Furukawa já inaugurou na CIC, no início deste ano, uma fábrica de conectividade e um novo centro de distribuição, a cerca de 1 quilômetro da planta de cabos ópticos. A fábrica de conectividade faz acessórios ópticos, ou seja, equipamentos necessários para montagem e instalação dos cabos. Ela conta com cerca de 450 funcionários. Já o novo centro de distribuição (CD) foi instalado ao lado da planta de acessórios para facilitar a logística.

A modernização da fábrica de cabos ópticos e as novas instalações já inauguradas no início do ano vão consumir a maior parte do investimento total de R$ 43 milhões previsto para 2018. O restante, menos de 30%, será destinado para manutenção da fábrica de Sorocaba (SP), que faz a matéria-prima (fibra), de Santa Rita do Sapucaí (MG), que faz equipamentos para teles, e as unidades da Colômbia e da Argentina. O investimento deste ano é maior do que o feito em 2017, quando a Furukawa investiu R$ 39 milhões nas suas instalações na América Latina.

E os novos investimentos vão demandar mais mão de obra. A Furukawa vai contratar 300 novas pessoas neste ano. Mais ou menos 150 vagas já foram preenchidas até o início de abril. As vagas são tanto para a fábrica de cabos ópticos, quanto de conectividade, ambas em Curitiba. Elas já operam em três turnos, mas ainda possuem espaços para expansão da produção.

Crescimento de 16%

Os novos investimentos e a expansão da produção acontecem para atender a própria necessidade de modernização das fábricas da empresa e também para acompanhar o aumento de demanda. A receita da companhia na América Latina cresceu 16% no ano fiscal encerrado em março deste ano e chegou a R$ 901 milhões. O lucro foi de R$ 31 milhões. Os resultados positivos foram obtidos graças às exportações e à demanda de provedores regionais.

As exportações já respondem por cerca de 25% da receita da Furukawa na América Latina. Os produtos atendem, principalmente, os países latino-americanos e também parte do Sudeste Asiático e do Norte da África. O restante da receita é garantido pelo mercado interno, o brasileiro, onde está a sede da Furukawa na América Latina.

Mas, no Brasil, a demanda das grandes operadoras de telefonia, o principal cliente da Furukawa, ainda está em baixa. O presidente Furukawa Eletric Latam, Foad Shaikhzadeh, afirma que no ano fiscal encerrado em março a demanda cresceu um pouco, mas ainda abaixo do esperado e dentro de uma base de comparação fraca. Ele, porém, tem fé que os investimentos serão retomados.

Até por essa demanda fraca das grandes operadoras, a estratégia da Furukawa é continuar aumentando as exportações. A expectativa é exportar 40% da sua produção local até 2021.

Fábrica de cabos ópticos da Furukawa em Curitiba

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE