Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

belo horizonte

Congresso da UNE começa nesta quarta com monopólio da esquerda

Entidade diz ser “plural”, mas lista de palestrantes convidados se restringe a políticos (alguns investigados na Lava Jato) e militantes de esquerda

Gleisi Hoffmann: na lista da Lava Jato, mas destaque no Congresso da UNE | ReproduçãoFacebook
Gleisi Hoffmann: na lista da Lava Jato, mas destaque no Congresso da UNE ReproduçãoFacebook
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O Congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes), que começa nesta quarta-feira na Universidade Federal de Minas Gerais, vai reunir palestrantes de diversas correntes ideológicas – todas elas de esquerda.  

Na página do congresso na internet, a UNE se define como “um espaço democrático e plural em que convivem diversas opiniões e visões de mundo”. A lista de convidados do evento, entretanto, deixa clara a noção de pluralidade adotada pela UNE: do PDT ao PSol, passando por PCdoB, PT e partidos nanicos de esquerda. Nada além disso.

Na agenda do evento estão debates e palestras com a participação do ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), a deputada estadual do Rio Grande do Sul Manuela D’Avila (PCdoB), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), o deputado federal Chico Alencar (PSol-RJ), o ex-ministro José Eduardo Cardozo (PT), o líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, e a senadora e presidente do PT Gleisi Hoffmann (PR) – investigada na operação Lava Jato.

Uma das mesas de debates discutirá “a inconstitucionalidade do Golpe”. Os cinco participantes foram contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff: o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Marcelo Lavenère, José Eduardo Cardozo, a vereadora paulistana Isa Penna (PSol), o advogado Pedro Luiz de Andrade e a ex-presidente da UNE Virgínia Barros.

Outro debate, intitulado “Tema 8: Educação emancipadora X Escola sem partido”, vai reunir cinco debatedores com opinião indistinguível: a vereadora paulistana Sâmia Bomfim (PSOL), Manuela D’Ávila, a secretária de Educação de Minas Gerais, Macaé Maria Evaristo dos Santos, a presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, Camila Lanes, e o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro José Medeiros.

A agenda inclui ainda debates como “O Brasil e a América Latina na luta contra o imperialismo”, “Frente Povo Sem Medo - resistência e os desafios da esquerda” e “A Luta contra Reforma Trabalhista e Terceirização”. Em meio à maior operação já feita contra a corrupção no país, o tema ficou de fora. 

O congresso, o 55º da história da entidade, se encerrará no domingo, após a eleição do novo presidente da UNE. No material distribuído pela organização, o governo federal aparece na lista de patrocinadores. Mas o Ministério da Educação negou à Gazeta do Povo ter repassado recursos para o evento.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Educação

PUBLICIDADE