Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Bolso

Saiba o que levar em conta para calcular o gasto com ensino

Custos com transporte, alimentação, material escolar e uniforme devem entrar nas contas do orçamento familiar na hora de calcular quanto será gasto com ensino

  • Gisele Eberspächer, especial para Gazeta do Povo
 |
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O orçamento é mais um fator a ser pensado ao escolher o colégio para os filhos. Mas os pais não podem esquecer que, além da mensalidade, outros itens devem entrar na conta. "O que mais pesa no custo é a mensalidade. Depois dela, existem as questões de uniforme, lanche, material escolar, extras do colégio e o deslocamento", enumera o consultor Emerson Fabris, diretor do Instituto de Educação em Gestão Familiar.

A família da dentista Luciana Neves sentiu um impacto no bolso quando o filho mais velho, Leonardo, saiu da creche. "Antes, quando ele estava na creche, a alimentação estava inclusa e era perto de casa, não pagávamos nada além da mensalidade. Quando ele foi para o primeiro ano, prestamos atenção no valor da mensalidade e não nos tocamos que teríamos que pagar lanche, uniforme, material. Foi um susto", conta.

Só na primeira compra de materiais e uniforme a família gastou cerca de R$ 1 mil. Por mês, são mais R$ 200 de alimentação. Com o tempo, foi preciso aprender a recalcular. "Tivemos que cortar algumas coisas para nos adaptar aos novos custos, mas acabamos conseguindo", diz Luciana.

Para ajudar os pais nessa situação, Fabris passa várias dicas de como é possível economizar. Uma opção para diminuir o gasto com mensalidade é analisar os descontos oferecidos pelo colégio para pagamento anual ou semestral.

"Alguns colégios têm descontos interessantes para quem paga nessas opções. Nesses casos, as famílias com algum dinheiro na poupança podem pensar nesses pagamentos. Com um rendimento médio de 6% na poupança, qualquer desconto superior a esse valor já se torna interessante", explica Fabris. Ele alerta, porém, que o pagamento único deve ser evitado por famílias com possibilidade de mudança durante o ano letivo, uma vez que nem sempre o valor devolvido será integral.

Outra dica de Fabris é guardar o décimo terceiro para o começo do ano seguinte. "No começo do ano, além dos impostos, as famílias devem comprar uniformes e material escolar. Poupar para esse momento pode ser importante para evitar qualquer aperto", aconselha. O parcelamento do pagamento desses itens pode ser uma opção quando for sem juros. Reutilizar materiais do ano anterior e procurar os pais de alunos mais velhos e comprar itens usados por um preço menor também ajudam a economizar.

O dia todo

Os colégios integrais costumam ser um boa opção para famílias com interesse em atividades extracurriculares, como línguas estrangeiras, esportes, oficinas de arte ou música. Para calcular se vale a pena optar por esse caminho, é necessário considerar os custos de mensalidade do colégio normal, o pagamento das atividades extras escolhidas e o custo com transporte. Depois disso, compare com o valor da mensalidade do colégio integral.

"Normalmente se pagaria mais caro em muitas atividades, e temos que considerar o tempo e o combustível gastos em levar o filho em vários lugares durante o dia. Acaba sendo também uma comodidade", explica Fabris. Essa opção pode ser também uma vantagem para pais que trabalham o dia inteiro, e teriam um custo com babá no contraturno.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Notícias sobre Educação

  1.  |

    Normas técnicas

    Regras da ABNT: veja as normas para monografias e trabalhos acadêmicos

  2. O experimento foi chamado de “Projeto Honestidade”. | Divulgação

    Exemplo

    Escola de Curitiba transforma lanche do recreio em teste de honestidade

  3.  | Reprodução / UFABC

    currículo

    Afro-matemática será matéria obrigatória em curso de universidade federal

PUBLICIDADE