Assinaturas Classificados
Assinaturas

Campeonato Paranaense

Patrocínio:
Publicidade

Daniel Castellano / Gazeta do Povo

Daniel Castellano / Gazeta do Povo / Alex ergue o troféu de campeão paranaense de 2013 Alex ergue o troféu de campeão paranaense de 2013
Paranaense

Alex garante o tetracampeonato paranaense ao Coritiba

Menino de Ouro comandou o Coxa na virada por 3 a 1 sobre o Atlético com dois gols. Atacante Geraldo marcou o último nos acréscimos

12/05/2013 | 17:58 |
  • Comentários

Depois de 39 anos, o Coritiba voltou a conquistar o tetracampeonato paranaense com uma vitória por 3 a 1 sobre o Atlético na tarde deste domingo (12), no Couto Pereira. Como plus para a festa alviverde soma-se o fato de que a recente hegemonia no estado, construída a partir de 2010, foi integralmente sobre o maior rival, que terminou pela quarta vez seguida com o vice-campeonato.

O nome do jogo foi também o do principal talento revelado pelo clube nos últimos anos: o camisa 10 Alex, que encarou a responsabilidade de conduzir o time para a conquista e marcou os dois gols que garantiram a virada no placar ainda no primeiro tempo e a manutenção da taça de campeão no Alto da Glória.

O jogo que valeu o 37.º estadual na história do clube teve alguns momentos de tensão. Tudo por causa da falha primária de Vanderlei, logo aos 5 minutos de jogo, que permitiu o gol de Hernani de fora da área. Mas foi na base do talento de seu camisa 10 que o Coritiba superou o time sub-23 atleticano e ficou com a taça.

Coube a ele, que vinha devendo nos Atletibas, brilhar justamente no confronto mais importante entre os dois times na temporada, conduzindo a virada no placar com dois gols ainda no primeiro tempo, aos 29 e aos 40 minutos. Geraldo, aos 46 do segundo tempo, marcou o gol que sacramentou a conquista alviverde.

Foi o primeiro título de Alex com a camisa do Coritiba. “Dedico o título a mim, porque dedicando a mim fica também para toda a torcida coxa-branca. Não é um título qualquer, eu cresci aqui e era um jogo decisivo contra o Atlético. Estamos de parabéns! É um grande presente para todas as mães coxas [no Dia das Mães]. Eu sou privilegiado por estar dentro de campo”, disse emocionado após a conquista.

Mesmo com a derrota, a jovem equipe atleticana saiu da competição de forma honrosa, ciente de que jogo a jogo quebrou a desconfiança inicial da torcida até desafiar o favorito Coritiba na final. “A gente tentou, lutou. Não conseguimos o resultado, mas estamos de parabéns”, destacou o atacante Douglas Coutinho, grande revelação atleticana, também emocionado na saída do gramado.

O jogo

Precisando da vitória para ficar com a taça, o Atlético começou melhor a partida, marcando sob pressão a equipe alviverde, e contando com uma falha feia do goleiro Vanderlei para abrir o placar. Logo aos 5 minutos, Hernani recebeu na intermediária e arriscou o chute. Vanderlei não segurou a bola e permitiu o gol do Furacão.

O placar favorável deu maior tranquilidade ao time sub-23 do Atlético, que marcava forte e tentava sair no erro do rival. Mas recuou demais e praticamente abdicou do ataque. Se consegia barrar a maioria das jogadas do Alviverde na frente de sua área, só voltou a finalizar aos 28 minutos, quando Douglas Coutinho tocou para Crislan na entrada da área chutar por cima do gol.

A tensão tomava conta da torcida coritibana quando a estrela de Alex começou a brilhar e dar uma nova cara para a decisão do Estadual. Aos 29 minutos, Deivid tentou a conclusão, a defesa atleticana cortou mal e a bola sobrou nos pés dele, que de frente para o gol chutou com precisão para empatar.

O gol inverteu as coisas dentro de campo. O nervosismo foi para o lado atleticano, que via o Coritiba tocar a bola com qualidade no campo ofensivo. Aos 37 minutos, Deivid tocou para Rafinha que chutou cruzado, levando muito perigo ao gol de Santos. Aos 40, na bola levantada na área por Victor Ferraz, a zaga atleticana falhou mais uma vez e a bola sobrou com Alex, que concluiu duas vezes para virar o placar no Couto Pereira. Foi o 15.º gol do Menino de Ouro no Campeonato Paranaense, artilheiro isolado da competição.

O Coxa teve ainda mais duas chances de ampliar o marcador no final do primeiro tempo. Primeiro com Alex, aos 42, que a zaga cortou para a linha de fundo, e depois com Leandro Almeida, aos 43, após cobrança de escanteio.

No segundo tempo, a missão alviverde era se manter no campo ofensivo para não correr riscos. E foi o que aconteceu. Aos 7 minutos, Robinho roubou a bola, entrou na área e chutou forte perto da trave. Alex protagonizou outro grande momento aos 16, recebendo a bola de Gil e chutando forte, acertando caprichosamente o travessão.

Melhor, o Coritiba continuou no campo de ataque e aos 21 minutos teve mais uma chance de ampliar, com Deivid, que recebeu na área e chutou colocado, obrigando o goleiro Santos a fazer boa defesa.

Aos 35, um princípio de confusão tentou manchar o clássico. Gil deu carrinho por trás em Edigar Junio e levou cartão amarelo. Pouco antes, no início da jogada, o técnico alviverde Marquinhos Santos tentou dar uma rasteira no atacante atleticano e, por causa do lance, foi expulso pelo árbitro Adriano Milczvski. Quando a bola parou, todo o time coritibano correu para cima do árbitro reclamando que antes de tudo acontecer Edigar Junio tirou Escudero do lance com uma cotovelada.

O Coritiba continuou no ataque e aos 39 minutos Deivid concluiu bem jogada de Rafinha e a bola acertou novamente o travessão. Pouco depois, vendo as chances de título se esvaírem, Zezinho perdeu a cabeça, agrediu Rafinha com um pontapé e foi expulso.

Aos 46, Geraldo fez boa jogada e chutou, a bola desviou na zaga e enganou o goleiro Santos. Um gol para coroar a conquista coxa-branca. Ou melhor, a quarta consquista seguida!

A campanha

Levantar a taça de campeão marca o reencontro do bom futebol do time coxa-branca na temporada. Depois de fazer um primeiro turno muito bom, com 8 vitórias e 3 empates, os comandados de Marquinhos Santos caíram de produção no segundo turno, com 6 vitórias, 3 empates e 2 derrotas. Uma delas foi também a que desencadeou o maior número de críticas ao time, após perder por 3 a 1 para o sub-23 atleticano na Vila Olímpica do Boqueirão.

A chance de apagar a má impressão veio nas partidas finais. Mas, mesmo diante da formação mais jovem do Rubro-Negro, o Coritiba teve muitas dificuldades para conseguir o empate por 2 a 2 no último fim de semana. A superioridade apareceu mesmo após os 30 minutos do jogo deste domingo, no Couto Pereira, quando conseguiu se organizar em campo, quando apareceu o talento de jogadores experientes como Alex, Rafinha e Deivid.

Na campanha vitoriosa, o Coritiba entrou em campo 24 vezes, com 16 vitórias, 7 empates e 2 derrotas. O time marcou 53 gols e sofreu 20. Alex foi o principal artilheiro do Coritiba e do campeonato, balançando as redes 15 vezes.

      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade