Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Campeonato Paranaense

Fechar
PUBLICIDADE

Paranaense

Atlético barra trabalho de repórter no Atletiba

Osmar Antonio, da Rádio Banda B, teve credenciamento negado sem justificativa, descumprindo a lei 12.395, que permite livre acesso de profissionais da imprensa às praças esportivas

  • Atualizado em às
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A diretoria do Atlético barrou a entrada do repórter Osmar Antonio, da Rádio Banda B, na cobertura do Atletiba desta quarta-feira (22), às 19h30, na Vila Capanema. Dos 12 nomes de profissionais da rádio enviados ao departamento de comunicação do Furacão para o credenciamento, o do repórter foi recusado sem justificativa.

"O repórter Osmar Antônio não será credenciado para a partida. Atenciosamente,Departamento de Comunicação Clube Atlético Paranaense", foi a resposta encaminhada no fim da tarde desta quarta-feira pelo departamento de comunicação do clube à Banda B.

Em nota em seu site, a direção da Banda B informa que encaminhou o caso a seu departamento jurídico. A Associação dos Cronistas Esportivos do Paraná (Acep-PR) também enviou ofício à diretoria do Atlético informando que a decisão é ilegal.

Na manhã desta quinta-feira (23), a direção da rádio se reúne com o presidente da Acep-PR, Isaías Bessa, para conversar sobre o caso. "Vamos entrar junto com a rádio com uma medida cautelar na Justiça solicitando uma liminar para que o Osmar Antonio possa trabalhar normalmente", informa Bessa.

O presidente da Acep enfatiza que, segundo a lei 12.395, assinada pela presidente Dilma Rousseff em março do ano passado, todos os profissionais credenciados às associações de cronistas esportivos têm acesso livre às praças esportivas a trabalho.

"Esse é um problema pessoal do Mario Celso Petraglia com o Osmar Antonio que o Atlético não pode levar para o lado profissional. O Petraglia não tem direito de barrar nenhum cronista esportivo", critica Bessa.

Em entrevista à Agência Estado, o diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, disse que somente o pedido de Osmar Antonio foi negado, em razão de ele ter feito "campanha aberta" para a chapa que perdeu a eleição à presidência no clube, no fim do ano passado. "Ele misturou o profissional com o pessoal", afirmou Holzmann.

Segundo o diretor, havia cobrança para que o clube tomasse um posicionamento. Ele afirmou ter pedido para a diretoria da rádio a troca de setorista com o objetivo de "não criar um clima desagradável". Como isso não teria ocorrido, a decisão foi pelo não credenciamento para a cobertura do clássico estadual.

LondrinaNão é a primeira vez que um dirigente de futebol barra o trabalho da imprensa nesta temporada. No começo do ano, na pré-temporada, gestor do Londrina, Sérgio Malucelli, barrou a entrada do repórter Marcos Cesar Gouvea, do Jornal de Londrina, do GRPCOM, no treino da equipe no CT da SM Sports. A ação foi motivada por um texto publicado pelo editor Diego Prazeres em seu blog no site do jornal.

Na última sexta-feira (17), a equipe de reportagem foi novamente barrada por seguranças de acompanhar o treino do Tubarão no Estádio do Café. Desde então, o Jornal de Londrina está impedido de acompanhar os treinos do Londrina.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais