Campeonato Paranaense

Fechar
PUBLICIDADE

Paranaense

Atlético barra trabalho de repórter no Atletiba

Osmar Antonio, da Rádio Banda B, teve credenciamento negado sem justificativa, descumprindo a lei 12.395, que permite livre acesso de profissionais da imprensa às praças esportivas

  • Atualizado em às
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A diretoria do Atlético barrou a entrada do repórter Osmar Antonio, da Rádio Banda B, na cobertura do Atletiba desta quarta-feira (22), às 19h30, na Vila Capanema. Dos 12 nomes de profissionais da rádio enviados ao departamento de comunicação do Furacão para o credenciamento, o do repórter foi recusado sem justificativa.

"O repórter Osmar Antônio não será credenciado para a partida. Atenciosamente,Departamento de Comunicação Clube Atlético Paranaense", foi a resposta encaminhada no fim da tarde desta quarta-feira pelo departamento de comunicação do clube à Banda B.

Em nota em seu site, a direção da Banda B informa que encaminhou o caso a seu departamento jurídico. A Associação dos Cronistas Esportivos do Paraná (Acep-PR) também enviou ofício à diretoria do Atlético informando que a decisão é ilegal.

Na manhã desta quinta-feira (23), a direção da rádio se reúne com o presidente da Acep-PR, Isaías Bessa, para conversar sobre o caso. "Vamos entrar junto com a rádio com uma medida cautelar na Justiça solicitando uma liminar para que o Osmar Antonio possa trabalhar normalmente", informa Bessa.

O presidente da Acep enfatiza que, segundo a lei 12.395, assinada pela presidente Dilma Rousseff em março do ano passado, todos os profissionais credenciados às associações de cronistas esportivos têm acesso livre às praças esportivas a trabalho.

"Esse é um problema pessoal do Mario Celso Petraglia com o Osmar Antonio que o Atlético não pode levar para o lado profissional. O Petraglia não tem direito de barrar nenhum cronista esportivo", critica Bessa.

Em entrevista à Agência Estado, o diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, disse que somente o pedido de Osmar Antonio foi negado, em razão de ele ter feito "campanha aberta" para a chapa que perdeu a eleição à presidência no clube, no fim do ano passado. "Ele misturou o profissional com o pessoal", afirmou Holzmann.

Segundo o diretor, havia cobrança para que o clube tomasse um posicionamento. Ele afirmou ter pedido para a diretoria da rádio a troca de setorista com o objetivo de "não criar um clima desagradável". Como isso não teria ocorrido, a decisão foi pelo não credenciamento para a cobertura do clássico estadual.

LondrinaNão é a primeira vez que um dirigente de futebol barra o trabalho da imprensa nesta temporada. No começo do ano, na pré-temporada, gestor do Londrina, Sérgio Malucelli, barrou a entrada do repórter Marcos Cesar Gouvea, do Jornal de Londrina, do GRPCOM, no treino da equipe no CT da SM Sports. A ação foi motivada por um texto publicado pelo editor Diego Prazeres em seu blog no site do jornal.

Na última sexta-feira (17), a equipe de reportagem foi novamente barrada por seguranças de acompanhar o treino do Tubarão no Estádio do Café. Desde então, o Jornal de Londrina está impedido de acompanhar os treinos do Londrina.

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais