Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

mídia

Ao contrário de Atlético e Coritiba, Paraná promete abrir clube à imprensa

  • Moreno Valério
Caio Henrique, reforço do Paraná Clube, fala com jornalistas. | Reprodução Meu Paraná, Meu Tricolor (Facebook)
Caio Henrique, reforço do Paraná Clube, fala com jornalistas. Reprodução Meu Paraná, Meu Tricolor (Facebook)
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Ao contrário do que fazem Atlético e Coritiba , o Paraná Clube planeja melhorar a relação com a imprensa. O Tricolor pretende disponibilizar entrevistas sempre que houver treino da equipe principal, oferecendo, ao menos, um jogador para falar em coletiva ao jornalistas.

O departamento de comunicação do clube não descarta a possibilidade de que haja o contato entre repórteres e jogadores todos os dias da semana. A ideia é melhorar o canal com a torcida e ampliar o alcance dos patrocinadores na mídia.

Seguindo na contramão dos outros clubes da capital, a estratégia parece estar alinhada já nesta semana que antecipa a estreia do time na Série A do Brasileirão. Nesta terça-feira (10), dois dos novos jogadores falaram na sala de entrevistas do Tricolor: o atacante Luan Viana e o meia Caio Henrique.

O clube quer que os sete novos nomes sejam apresentados ainda antes da estreia contra o São Paulo, na segunda-feira (16) às 20 horas, no Morumbi. Além dos dois já citados, completam a lista os zagueiros Cléber Reis e Jesiel, os atacantes Raphael Alemão, Silvinho e Leo Itaperuna. A proposta é que as janelas de imprensa sigam assim durante o Brasileirão.

>> Tabela detalhada do Brasileirão revela os ‘queridos’ da Globo

>> Mercado da bola: quem seu time está contratando para o Brasileirão

>> Projeção indica quanto cada clube irá ganhar da Globo no Brasileirão

As políticas de Atlético e Coritiba diferem desta que vem tomando o Paraná. O alviverde, desde a nova gestão com o presidente Samir Namur, que iniciou em dezembro do ano passado, tem priorizado apresentações e comunicados através das suas próprias plataformas: rádio, tv, site e redes sociais.

Assim que assumiu o clube, Namur declarou que “a comunicação pelos canais oficiais do Clube deve ser mais que prioridade, deve ser uma exclusividade. Por isso, o trabalho do restante da imprensa em dias de treinos e jogos deve ser regulamentado”. Porém, as janelas de imprensa e entrevistas pós-jogo não foram alteradas do que acontecia em 2017. As principais diferenças são nas apresentações de jogadores e entrevistas de dirigentes ou do próprio presidente, que são realizadas pelos veículos oficiais.

Já o Atlético tem uma posição ainda mais restrita. Este ano o clube não realiza mais entrevistas coletivas antes dos jogos, apenas no pós-jogo. Antes das partidas, apenas registros de imagens do treino, com tempo cronometrado.

Ainda existe também a proibição da captação de imagens nos jogos em que é o mandante, ficando a cargo do Clube o repasse dos 3% do tempo total do evento, para fins jornalísticos. Medida que tem causado polêmica, já que nos últimos dois jogos na Arena (contra Londrina e Coritiba), o Atlético fez um repasse sem os principais momentos, como gols e comemoração dos títulos.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE