Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

ataque

Atentados deixam pelo menos 26 mortos no Iraque

Explosões foram as mais recentes em uma onda feroz de ataques terroristas na peregrinação anual, durante a qual centenas de milhares de pessoas visitam o santuário de um xiita imã do século 8, no norte de Bagdá

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A explosão de dois carros-bombas durante procissões religiosas em Bagdá, no Iraque, deixou pelo menos 26 pessoas mortas neste sábado (16), o último dia de uma peregrinação xiita, segundo a polícia local.

As explosões foram as mais recentes em uma onda feroz de ataques terroristas na peregrinação anual, durante a qual centenas de milhares de pessoas visitam o santuário de um xiita imã do século 8, no norte de Bagdá. Na quarta-feira passada, 72 pessoas morreram em vários atentados coordenados contra peregrinos em todo o país. Um grupo ligado à Al-Qaeda no Iraque assumiu a responsabilidade pelo ataque deste sábado (16).

O primeiro carro-bomba explodiu logo depois do meio-dia perto de uma multidão de peregrinos que caminhava através do bairro xiita de Shula, no norte da cidade, em direção ao santuário de Imam Moussa al-Kadhim. Pelo menos 14 pessoas, incluindo dois policiais, morreram na explosão e outras 46 pessoas ficaram feridas, disse a polícia.

A bomba estava escondida em um táxi estacionado entre um grupo de outros táxis ao longo da rota procissão, à espera para levar peregrinos de volta as suas cidades de origem após o fim das cerimônias, segundo um oficial da polícia. Um funcionário do hospital confirmou o número de mortos.

Uma hora mais tarde, um segundo carro explodiu no bairro Kadimiyah, a cerca de cinco quilômetros de uma mesquita que possui o santuário no qual al-Kadhim está supostamente enterrado. O oficial de polícia disse que 12 pessoas morreram e 26 ficaram feridas quando um carro estacionado explodiu enquanto a multidão passava. As informações são da Associated Press.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais