Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

story
Enkontra.com
PUBLICIDADE

INVESTIGAÇÃO

Greca reage no Facebook contra denúncia de fraude na eleição: “Fiquei uma onça”

Prefeito de Curitiba diz que auditoria determinada por ele vai trazer luz aos fatos

Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, reagiu à denúncia sobre fraude nas eleições | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, reagiu à denúncia sobre fraude nas eleições Jonathan Campos/Gazeta do Povo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), usou as redes sociais neste sábado (17) para reagir contra a denúncia de fraude na disputa eleitoral em que derrotou o candidato Ney Leprevost (PSD). O caso veio à tona após o jornalista Celso Nascimento publicar, em sua coluna na Gazeta do Povo, sobre as investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Veja a postagem do prefeito Rafael Greca

A ação teve início durante a apuração de suposta compra e venda de alvarás, que seriam intermediadas por servidores da Secretaria Municipal de Urbanismo. A partir de escutas envolvendo uma ex-secretária, funcionários da pasta e um dos coordenadores da campanha de Greca no ano passado, descobriu-se que servidores foram encarregados de escarafunchar arquivos da Secretaria de Urbanismo que caracterizassem a suposta fraude na locação do terreno do Instituto Paranaense de Cegos para o irmão do candidato Ney Leprevost.

Tanto no perfil como em sua página no Facebook, Greca fez uma longa postagem em que diz que a denúncia é “difamação e calúnia” e “merece o repúdio” dele. “Fiquei uma onça”, escreveu.

Segundo o prefeito, os problemas na Secretaria de Urbanismo, entre 2013 e 2016, transformaram a pasta num “balcão de negócios, incluindo aí o alvará do terreno que a família Leprevost alugou do Instituto Paranaense dos Cegos para a construção de uma casa de eventos”.

Ainda conforme Greca, o próprio colegiado do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na época da propaganda eleitoral, negou a Leprevost vários pedidos de direito de resposta, “ante a veracidade do fato e da robusta prova”.

O prefeito concluiu que uma auditoria determinada por ele na Secretaria do Urbanismo, antes mesmo da ação do Gaeco, trará luz aos fatos e ação judicial aos envolvidos no episódio.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE