Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Pronunciamento

‘Criminosos não sairão impunes’, diz Temer em resposta a Joesley

Em vídeo nas redes sociais, presidente afirma que ‘criminosos apontam o dedo tentando fugir da punição’. Defesa de Temer entra com ação por danos morais e queixa crime contra Joesley

  • Sergio Luis de Deus
 |
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Em discurso veiculado nas redes sociais pouco antes de embarcar para a Rússia, o presidente Michel Temer reagiu à entrevista de Joesley Batista para a revista Época chamando-o de criminoso, mas sem citar o nome do empresário. “Aviso aos criminosos que não sairão impunes, pagarão o que devem e serão responsabilizados pelos seus ilícitos”, disparou.

Assista ao vídeo na íntegra

“Já está claro o roteiro que criaram para justificar seus crimes: apontam o dedo para outros tentando fugir da punição”, completou. Joesley chamou o presidente da República de “chefe da mais perigosa quadrilha do Brasil” na entrevista à Época neste fim de semana.

Temer deu a entender que está sendo alvo de retaliação do grupo JBS por ter cortado “favores que privilegiavam apenas algumas empresas e práticas que permitiram a criminosos crescer à sombra de ilícitos e do dinheiro público jorrado sem limite e com juros camaradas. Muita gente não gostou disso”. O peemedebista se referiu aos financiamentos do BNDES concedidos ao frigorífico de Joesley durante os governos petistas que fizeram do grupo a maior empresa de proteína animal do mundo.

No vídeo de pouco mais de 4 minutos, Temer disse ainda que “não pratica retaliações. Por tradição e por formação, acredito na Justiça, sempre respeitei a independência dos poderes e é assim que estarei reagindo”. Nesta segunda-feira (19), o presidente ingressou com duas ações contra o dono da JBS na Justiça. Uma delas por danos morais, onde pede indenização financeira, e a segunda, uma queixa crime, por difamação, calúnia e injúria, crimes contra a honra. A ação criminal foi impetrada na Justiça Federal e a cível, na Justiça comum, pelo advogado do PMDB, Renato Oliveira Ramos.

Por fim, após elencar algumas das conquistas do seu governo, Temer aproveitou para fazer um afago a deputados e senadores em meio à expectativa de uma denúncia formal da Procuradoria-Geral da República contra ele com base na delação premiada da JBS. O Congresso precisará autorizar a abertura de ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF). “O Congresso tem sido parceiro fundamental para essas vitórias” , afirmou.

Assista ao vídeo na íntegra

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Política

PUBLICIDADE