Blog / 

Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Artigos

Aiatolá xiita do Irã que prega destruição de Israel fará palestra em SP

O Brasil parece ter entrado mesmo na rota do radicalismo islâmico, com os aplausos da elite alienada. Não bastasse um palestino simpático a terroristas ter um restaurante cool em São Paulo e receber elogio pela “diversidade cultural” e até prêmio de jornal depois de participar do primeiro atentado terrorista islâmico no país, agora é a vez de um aiatolá xiita iraniano, amigo do Hezbollah, visitar a cidade para uma palestra:

O iraquiano Mohsen Araki é uma estrela do islã xiita. Dono do título de aiatolá, ele faz parte do círculo mais próximo líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, de quem é amigo pessoal desde a juventude. Araki desembarcará no Brasil na próxima semana para pregar em mesquitas e instituições patrocinadas pelo governo do Irã no Brasil. No sábado dia 29, ele proferirá uma palestra no evento “Os muçulmanos e o enfrentamento ao terrorismo radical”, que será em São Paulo, no Novotel Center Norte. Uma ironia por Araki ser conhecido justamente por pregar a violência contra o que ele define como inimigos do islã.

Quando o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad pregou a destruição de Israel, ele estava apenas reproduzindo os discursos de Araki. Em várias oportunidades, o religioso pregou a destruição do Estado Israel. Durante um encontro com o secretário-geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, o aiatolá Araki definiu Israel como “um câncer que deveria ser extirpado do Oriente Médio”.

Em suas pregações, Araki acusa os Estados Unidos e os judeus de serem os responsáveis pelos problemas econômicos dos países islâmicos e das divisões existentes entre as várias correntes da religião islâmica. Em uma visita ao Líbano, ele sugeriu aos líderes do Hamas, o grupo terrorista que controla a Faixa de Gaza, uma união estratégica entre todos as organizações terroristas que atuam no Líbano e Palestina como forma de “banir Israel do mapa”, conforme publicado pela imprensa oficial iraniana.

O sheik Nasrallah – líder do Hezbollah e amigo do “convidado” – disse que é melhor os judeus se mudarem todos para Israel, pois lhe seria poupado o trabalho de caçá-los mundo afora. Eis o nível de gente que o Brasil está recebendo para palestras sobre o enfrentamento ao terrorismo radical, ou seja, os próprios terroristas radicais!

É algo como convidar Lula para falar de combate à corrupção, Gregorio Duvivier para palestrar sobre a honestidade intelectual ou Jean Wyllys para discursar sobre a importância da virilidade masculina. É uma piada pronta, um escárnio total. E essa gente está entrando no Brasil, colocando seu pezinho terrorista por lá, fixando as bases da disseminação do ódio e do extremismo que fomentam o terror.

Tudo isso, repito, com os aplausos das focas “progressistas”, que enaltecem o multiculturalismo e acham que defender os terroristas palestinos contra Israel é ser descolado e protetor de fracos e oprimidos. Mas claro: quem dissemina o ódio e o preconceito é sempre a direita, nunca a esquerda…

Rodrigo Constantino

PUBLICIDADE

Sobre / 

Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Saiba Mais

Arquivos

informe seu email e receba nosso conteúdo gratuito