Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

aplicativo

Uber cadastra motoristas de Curitiba, mas não confirma operação na cidade

A empresa informou que busca por profissionais faz parte da avaliação da empresa para começar a operar em alguma cidade

 | Aloisio Mauricio/Folhapress
Aloisio Mauricio/Folhapress
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A empresa que administra o aplicativo Uber começou a buscar profissionais para operar o sistema de caronas compartilhadas em Curitiba, mas o início da operação na capital paranaense não foi confirmada.

Em nota, a empresa afirmou que avalia a possibilidade de Curitiba receber o aplicativo em algum momento de 2016 e que a busca por profissionais que queiram atuar como motoristas faz parte desta prospecção - que é realizada em diversas cidades simultaneamente.

“Parte dessa avaliação, que é feita em vários níveis, inclui buscar talentos e compartilhar informações com os cidadãos que queiram ter uma nova oportunidade de renda com autonomia, flexibilidade e dignidade dirigindo na plataforma da Uber”, diz a nota. Ainda de acordo com a assessoria, quando houver uma confirmação da operação da Uber em Curitiba, a empresa fará um anúncio oficial.

No Uber, os motoristas cadastrados pelo serviço atendem usuários que solicitarem o serviço de transporte pelo aplicativo de celular. O aplicativo já está operando em cinco capitais brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre – e vem gerando polêmicas com taxistas, que afirmam que os motoristas do Uber representam concorrência desleal e que eles não possuem licença para prestar serviço de transporte público. Criado em 2009, o aplicativo está disponível em 58 países e já ocasionou protestos de taxistas em cidades como Londres e Paris.

Uber gera polêmica na Câmara

Antes mesmo do aplicativo operar em Curitiba, o vereador Chico do Uberaba (PMN) apresentou em julho de 2015 um projeto que buscava proibir a atuação do Uber na capital e previa multa de R$ 1,7 mil para motoristas que prestassem o serviço. O projeto foi arquivado pela Câmara Municipal em novembro e, no lugar, começou a tramitar um projeto que altera a chamada “lei dos taxistas”, de 2012. O projeto prevê a mesma punição do projeto do vereador Chico do Uberaba. O novo texto passa pelas comissões da Câmara e a previsão é de que seja votado entre março e abril de 2016.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais