Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Lava Jato

Odebrecht diz que pagou caixa dois para Serra na Suíça, afirma jornal

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, empreiteira teria repassado ilegalmente R$ 23 milhões para a campanha presidencial do tucano em 2010

  • Da Redação
Serra é envolvido em investigação da Lava Jato que apura desvios de recursos da Petrobras. | Valter Campanato/Agência Brasil
Serra é envolvido em investigação da Lava Jato que apura desvios de recursos da Petrobras. Valter Campanato/Agência Brasil
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A Odebrecht revelou à Lava Jato que R$ 23 milhões da empreiteira foram destinados à campanha presidencial de José Serra (PSDB) via caixa dois em 2010, diz reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (28). Parte do dinheiro teria sido repassada, segundo o jornal, por meio de uma conta na Suíça.

De acordo com a reportagem, a Odebrecht apontou dois nomes como sendo os operadores dos R$ 23 milhões à campanha de Serra, hoje ministro das Relações Exteriores do Governo de Michel Temer (PMDB).

“O acerto do recurso no exterior, segundo a Odebrecht, foi feito com o ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (ex-PSDB e hoje no PSD), que integrou a coordenação política da campanha de Serra”, publicou a Folha.

Segundo o jornal, “o caixa dois operado no Brasil, de acordo com os relatos, foi negociado com o também ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB-RJ), próximo de Serra”.

A reportagem diz que os repasses foram mencionados por dois executivos da Odebrecht nas negociações de acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília, e a força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba.

“Um deles é Pedro Novis, presidente do conglomerado de 2002 a 2009 e atual membro do conselho administrativo da holding Odebrecht S.A. O outro é o diretor Carlos Armando Paschoal, conhecido como CAP, que atuava no contato junto a políticos de São Paulo e na negociação de doações para campanhas eleitorais”, diz o texto.

Essa foi a primeira menção ao nome de Serra na investigação que apura esquema de desvio de recursos na Petrobras. Para corroborar os fatos relatados, a Odebrecht promete, segundo o jornal, entregar aos investigadores comprovantes de depósitos feitos na conta no exterior e também no Brasil.

De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a empreiteira doou oficialmente em 2010 R$ 2,4 milhões para o Comitê Financeiro Nacional da campanha do PSDB à Presidência da República (R$ 3,6 milhões em valores corrigidos).

Segundo a Folha diz ter apurado, os executivos da Odebrecht disseram aos procuradores que o valor do caixa dois foi acertado com a direção nacional do PSDB, que depois teria distribuído parte dos R$ 23 milhões a outras candidaturas.

Outro lado

À reportagem da Folha, o ministro de Relações Exteriores, José Serra (PSDB), disse, por meio de sua assessoria, que “não vai se pronunciar sobre supostos vazamentos de supostas delações relativas a doações feitas ao partido em suas campanhas”. “E reitera que não cometeu irregularidades”, afirmou, segundo a Folha.

O jornal tentou contato com o ex-deputado Márcio Fortes, mas diz não ter obtido resposta.

A Odebrecht afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que “não irá se manifestar sobre a reportagem”.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE