Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Caso Cachoeira

PMDB define hoje senador que presidirá Conselho de Ética

Escolhido definirá destino de Demóstenes Torres. Preferência é por Vital do Rego, mas ainda há dúvidas sobre a sua indicação

  • Folhapress e Agência O Globo
 |
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O PMDB vai definir somente hoje o nome do senador que vai ser indicado para a presidência do Conselho de Ética do Senado. Será o presidente do órgão quem vai decidir se abre processo de cassação do mandato do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO).

O senador Vital do Rego (PMDB-PB), que havia sido convidado para ocupar a presidência do colegiado, pode ter de abrir mão da indicação. Vital do Rego é corregedor do Senado e tem como suas atribuições investigar senadores. Por esse motivo, poderia ficar impedido de acumular o cargo com a presidência do conselho – já que cabe ao seu presidente decidir se abre ou não processo investigativo contra um parlamentar.

“Como corregedor, muitas vezes você tem que provocar o Conselho de Ética. E no conselho você tem que ser juiz da causa. A condição de corregedor inibe o papel de juiz”, afirmou o senador.

O PMDB formalizou uma consulta à advocacia do Senado para questionar a possibilidade do acúmulo de funções. Mas trabalha com a alternativa de pedir para Vital do Rego se licenciar temporariamente da corregedoria para que o senador assuma a presidência do conselho. Outra hipótese é escolher um outro senador peemedebista para presidir o colegiado. O partido não quer abrir mão da presidência do Conselho de Ética, mas encontra dificuldades para as indicações uma vez que nenhum dos integrantes da bancada manifestou a intenção de assumir a função.

“O PMDB tem outros nomes. Amanhã [hoje] nós vamos escolher o presidente do Conselho de Ética do PMDB, independente da minha escolha”, disse Vital do Rego.

Demóstenes foi flagrado em interceptações telefônicas supostamente beneficiando o empresário Carlos Cachoeira, preso pela suspeita de exploração de jogos ilegais no país.

Alternativa

Pela manhã, o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), reforçou a indicação feita pelo partido. Na semana passada, Pinheiro havia sugerido que o senador Wellington Dias (PT-PI) ocupasse a presidência do conselho.

“Mantemos a nossa oferta. O senador Wellington Dias tem todas as condições necessárias que o posto exige. A sociedade cobra do Congresso uma definição rápida sobre as denúncias crescentes envolvendo o senador Demóstenes Torres, e não podemos protelar mais nossas decisões”, afirmou Pinheiro.

Ele defendeu que, no caso de os peemedebistas escolherem a presidência do Conselho de Ética, o seu partido deve ficar com a relatoria. Porém, pela nova norma regimental, a escolha do relator será feita por sorteio.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE