PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Agricultura
  3. Milho
  4. Quebra da segunda safra de milho no Paraná encolhe produção de grãos brasileira
safrinha

Quebra da segunda safra de milho no Paraná encolhe produção de grãos brasileira

Falta de chuvas impactou lavouras paranaenses e produção de milho deve cair quase 20% na safrinha

Arquivo Gazeta do Povo Segunda safra de milho na região de Londrina | Arquivo Gazeta do Povo

Segunda safra de milho na região de Londrina

  • Estadão Conteúdo

A estiagem que passou pelo Paraná nos últimos meses levou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a revisar para baixo a previsão de produção de grãos no país. Conhecida como safrinha, a segunda safra de milho no estado deve ter perda de 2,2 milhões de toneladas.

Como resultado, a previsão para a produção de grãos no País encolheu em 1,9 milhão de toneladas na passagem de abril para maio, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE, divulgado nesta terça-feira (12).

A estimativa de produção nacional de milho totalizou 84,6 milhões de toneladas em maio, 2,3% menor que a de abril, refletindo a redução na produção do Paraná, que deve cair 18,3%. O rendimento médio estimado encolheu 18,1%.

“Faltou chuva no Paraná por mais de 40 dias. Foi uma estiagem muito grande, então houve uma perda de mais de 2 milhões de toneladas. A produção local de milho de segunda safra caiu de 12,2 milhões em abril para 10 milhões de toneladas em maio”, disse Carlos Barradas, gerente na Coordenação de Agropecuária do IBGE.

O cultivo de milho de segunda safra já estava menor em relação ao ano anterior por causa do atraso no plantio de soja, que encurtou o período de entrada da segunda safra de milho no campo. Além disso, Barradas lembra que a cultura vinha de uma base de comparação elevada, porque tinha registrado um rendimento extraordinário em 2017, em virtude do clima favorável. A produção de milho de segunda safra para 2018, estimada em 58,9 milhões de toneladas, é 14,0% menor do que a de 2017.

Para a primeira safra de milho, a produção nacional foi estimada em 25,7 milhões de toneladas, um aumento de 0,2% em relação ao mês anterior.

Feijão

A seca no Paraná também prejudicou o desempenho da produção de feijão. A estimativa para a segunda safra de feijão no País é de 1,3 milhão de toneladas, uma queda de 5,1% em relação ao esperado em abril, com redução de 5,3% no rendimento médio. No Paraná, a estiagem comprometeu o desenvolvimento das lavouras: o rendimento médio caiu 19,8%, enquanto a produção encolheu 20,4%.

Considerando as três safras de feijão em todo o País, houve uma redução de 1.085 hectares na estimativa para a área plantada na passagem de abril para maio. O rendimento médio encolheu 2,5%, a produção ficou 2,8% menor.

A 1ª safra de feijão foi estimada em 1,6 milhão de toneladas, uma queda de 0,2% em relação a abril. O Piauí teve sua estimativa de produção reduzida em 15,3% em relação ao mês anterior, em decorrência dos declínios de 10,8% do rendimento médio e de 5,0% na área colhida. A Paraíba aumentou a estimativa para a área plantada em 33,1% e a de produção em 31,5%, mas o rendimento médio caiu 1,1%.

Para a terceira safra nacional de feijão, a estimativa de produção é de 559,2 mil toneladas, queda de 4,5% ante a estimativa de abril, influenciada por Goiás (-17,2% na área a ser plantada e -16,5% na estimativa da produção).

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

8 RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA