0

Ainda as baladas novas

Saudações, notívagos (ou não). Fui conhecer os outros dois lugares de que tinha falado, o Matriz & Filial e o Café de la Musique Curitiba, e aproveito para tecer minhas impressões.

Luigi Poniwass
Salão interno do Matriz & Filial: boa opção para quem gosta de MPB.

O Matriz & Filial (foto) é um achado. Para quem gosta de boteco, é perfeito. Bonito, espaçoso, bem decorado, com boa comida e música brasileira de qualidade. E ainda tem dois grandes diferenciais: a eficiente circulação de ar, graças ao pé direito bem alto, ao ar condicionado e a modernos e simpáticos ventiladores; e um belo deck ao ar livre, bastante convidativo nas altas temperaturas. O cardápio tem como base a comida de boteco, como sanduíches, petiscos, porções e carne de onça, mas também oferece massas, caldos e outros pratos. Fica na Avenida Iguaçu, esquina com a Bento Viana. Informações: (41) 3343-3063.

Já o Café de la Musique (Av. Batel, 1.693), que abriu para o público ontem, é uma casa “premium”, para quem curte uma balada mais cara e sofisticada. Também é um espaço muito bonito, com três ambientes assinados pelos estilistas Ricardo Almeida, Amir Slama e Fafá Oliveira.

A parceria entre o empresário paulistano Alvaro Garnero, o ex-piloto Tarso Marques e os outros cinco sócios há alguns meses já era o principal buxixo na noite curitibana. Só que a inauguração para convidados, no último sábado, foi um tanto caótica. Por causa do “overbooking”: foram convidadas muitas pessoas além da capacidade da casa, pois se temia o tradicional êxodo no feriado.

Só que a frente fria (e o burburinho da inauguração) fez muita gente desistir de viajar. Resultado: dezenas de VIPs ficaram aglomerados do lado de fora, sem poder entrar. Quem entrou viu uma festa animada – apesar da superpopulação -, que durou até o amanhecer.

E com direito a algumas celebridades, como Caroline Bittencourt, Ellen Ganzarolli e Dudu Massa (irmão do piloto da Ferrari Felipe Massa). Os pontos altos foram a canja de Alvaro Garnero nas pick-ups, ao lado do DJ Fabrício Oliver, e o pequeno set de funk carioca, com o seleto público da casa gritando a plenos pulmões: “Eu só quero é ser feliz, morar tranqüilamente na favela onde eu nasci…”. Supra-sumo da ironia.

O dining club funciona às quintas e sábados, enquanto às terças, quartas e sextas a casa abre como restaurante. Nos dias de balada, o ingresso para quem não for jantar custa R$ 30 para as mulheres e R$ 60 para os homens. Mais detalhes pelo telefone (41) 3243-6304.

Falando em balada nova, eu também já havia ido ao Arte & Fato, o simpático boteco mencionado pela Maria Cristina Soares no post anterior. É um bar principalmente de happy hour, que funciona onde era o antigo Korova, na Rua David Carneiro, 469. No cardápio a especialidade são as tapas, os famosos petiscos espanhóis.

Mas o melhor é a paella valenciana, servida no almoço de sábado a R$ 23,90 por pessoa (como acompanhamento, tapas e uma jarra de sangria). A deliciosa receita foi trazida por um dos sócios da Espanha, e segue à risca a do prato original de Valencia (com exceção da ostra, que seria mais difícil de conservar). Como sobremesa, sugiro a rabanada feita com pão italiano. Irresistível. Informações: (41) 3527-1049.

E vocês, conheceram algum bar, boteco ou balada que mereça ser recomendado?

8 recomendacões para você