Mais um CD excelente e mal divulgado do selo SESC: “Puertas”: Obras para voz e violão - Falando de Música
Blog Falando de Música
Blog Falando de Música

Mais um CD excelente e mal divulgado do selo SESC: “Puertas”: Obras para voz e violão

O soprano Adélia Issa e o violonista Edelton Gloeden
O soprano Adélia Issa e o violonista Edelton Gloeden

 

Em meio a uma enxurrada de gravações de repertório clássico com títulos sobejamente conhecidos, e que na maioria das vezes se revelam de pouca utilidade, aparece um CD corajoso por se aventurar em um repertório completamente desconhecido, contemporâneo e musicalmente de grande qualidade. Falo do CD “Puertas” lançado este ano pelo selo SESC. Uma combinação rara: uma voz de soprano junto a um violão, apresentando compositores da Inglaterra (Stephen Goss e Denis Aplovor), Alemanha (Heimo Erbse), Itália (Castel-Nuovo Tedesco), Uruguai (Eduardo Fernández) e Brasil (Paulo Costa Lima, Jorge Antunes e Antonio Ribeiro). O ele de ligação entre autores tão diversos é o alto nível poético dos textos utilizados nas canções: Shakespeare, García-Lorca, Eichendorf, Guido Cavalcanti, Gabriela Mistral, Bocage e Hilda Hilst.

Obras primas

García-Lorca: um dos poetas enfocados neste CD

No repertório destacaria alguns momentos que revelam, a meu ver, descobertas musicais impressionantes. Em primeiro lugar as “Seis canções de Federico García Lorca” do compositor inglês Denis Aplvor. Este compositor, que faleceu em 2004, escreveu esta obra prima em 1946, não muito tempo depois do assassinato do poeta espanhol. O violão, a “guitarra española”, demonstra de forma evidente os lamentos e a dor do povo ibérico. Comovente. Neste mesmo clima latino surge uma excelente composição de um dos mais importantes violonistas da atualidade, o Uruguaio Eduardo Fernández (não sabia que ele também compunha). Em sua obra “Puertas” (que dá nome ao CD) ele se utiliza de dois textos maravilhosos de Gabriela Mistral (Chilena, prêmio Nobel de 1945) escrevendo, como era de se esperar, de forma magistral para seu instrumento, o violão, e caracterizando com muita propriedade as lindas poesias. Entre os brasileiros destacaria a obra que Jorge Antunes escreveu em 2016 sobre um texto de Bocage. Com seu típico experimentalismo faz justiça à modernidade do poeta português que viveu no século XVIII.

Grandes atuações, selo excelente mas mal divulgado

A cantora Adélia Issa sempre caminhou por uma senda original e desbravadora. Além de ter atuado em diversas montagens operísticas importantes (atuou junto a Plácido Domingo e Carlo Bergonzi) sempre buscou um repertório inédito e contemporâneo. De Penderecki a Stravinsky cantou em primeira audição obras de Camargo Guarnieri, Santoro, Widmer e de Leo Brower. Já Edelton Gloeden, um dos mais perfeitos e sofisticados violonistas brasileiros, detentor de uma vasta cultura musical, é professor de violão no Departamento de música da USP. Os dois surpreendem neste novo e intrincado repertório. A lamentar é que este CD é mais um excelente e mal divulgado produto do Selo Sesc. Entre os incríveis lançamentos deste selo existem CDs gravados pela primeira vez por músicos brasileiros com obras de importantes compositores modernos como Boulez, Ligeti e Berio. A despeito da importância e qualidade destes lançamentos continuam meio em segredo, e pouca gente sabe de sua existência. O CD “Puertas” sofre do mesmo mal. Para compra-lo (preço de apenas R$20,00) pode fazê-lo somente através do próprio SESC (https://www.sescsp.org.br/livraria/4211_PUERTAS#/content=detalhes-do-produto) ou pode até ouvi-lo pelo Youtube ou Spotify. A grande vantagem de comprar o CD em sua forma física é o maravilhoso (e grande) libreto com primorosas informações e os textos poéticos integrais junto a excelentes traduções. Fortemente recomendado.

 

8 recomendacões para você