Blog Bia Kunze – Garota sem Fio

Transforme seus MP3 velhos de guerra em streaming

Há alguns dias fui ao Twitter perguntar se ainda havia alguém que ouvisse música pelo bom e velho MP3. Arquivos mesmo, não streaming. Vale a pena ler as mais de 200 respostas…

Sim, há quem ainda não tenha sucumbido ao canto da sereia do streaming. É tentador poder, a partir de um único aplicativo, ter todas as músicas do mundo (?) à disposição. Mas é preciso ter ânimo para caçar playlists prontas, além de possuir internet móvel de boa qualidade sempre à disposição. Quem quiser maior liberdade deve desembolsar uma pequena quantia mensal para se livrar dos anúncios e ouvir as canções de modo offline. Ah, claro: é recomendável um powerbank à mão para não ficar sem bateria!

Meus iPods morreram, mas meu iTunes continua ativo e organizado. É bem pouco acessado, verdade, mas decidi que mudaria isso, já que estava com saudades de dezenas de artistas e álbuns que simplesmente não existem nas plataformas de streaming. É um assunto bem complicado, este dos artistas ausentes. Para entrar nessas plataformas, contratos são revistos ou refeitos entre artistas, gravadoras e startups para prever a distribuição através das novas tecnologias. Acontece que muitas dessas bandas não existem mais, artistas já morreram e gravadoras viraram pó. Mesmo quando o espólio fica nas mãos das famílias de intérpretes e compositores, as novas negociações nem sempre acontecem por pura falta de interesse. E há ainda os artistas chatos e reticentes à tecnologia, obviamente.

Decidida a ter comigo outra vez meus saudosos arquivos em MP3, comecei a procurar uma solução prática e independente de sincronismos presenciais, como era com os iPods. O aplicativo CloudPlayer para Android foi a descoberta que mudou a maneira de ouvir música em meu smartphone. Na verdade, ele adicionou uma pitada de tradição à atual moda dos streamings. Ele transforma seus MP3 salvos na nuvem em uma espécie de Spotify!

É tão simples quanto parece, e em pouco tempo lá estava eu com meu próprio acervo ativo outra vez.

Instalado o aplicativo, basta selecionar uma pasta em seu Google Drive, OneDrive ou Dropbox onde estejam suas músicas. Eu simplesmente arrastei a pasta da biblioteca do iTunes para dentro do meu OneDrive. O app se encarregou do resto, fornecendo uma interface belíssima e intuitiva, com direito até a poder editar os metadados e as capas dos álbuns. Como tudo já estava arrumadinho no iTunes, não precisei mexer nisso.

Às vezes ele demora alguns segundos a mais para carregar as músicas, afinal há um serviço intermediário de nuvem de terceiros. Algo meio aborrecido, mas nada que comprometa o uso. O resultado vale demais a pena. Dá até para escolher o que se deseja deixar offline no aparelho. Fiquei super satisfeita. O CloudPlayer custou apenas 9 reais, e pelas imagens abaixo, dá para perceber o quanto é completo e funcional. Recomendadíssimo!

8 recomendacões para você

 
 

mais comentadas da semana