Manhê! Engoli uma moeda! - Palpite de Alice
Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
Blog Palpite de Alice

Manhê! Engoli uma moeda!

Crianças colocam tudo que está em seu alcance direto na boca: objetos limpos, sujos, grandes e pequenos. Assim que o bebê começa a engatinhar e explorar o mundo a sua volta esse problema torna-se maior, pois os objetos encontrados podem ser engolidos (corpos estranhos).

– Manhê, engoli uma moeda!

E agora? O que fazer? É preciso correr para o hospital? Ingestão de corpos estranhos são frequentes nos Pronto-atendimentos e o número de casos aumenta durante as férias e feriados prolongados, quando as crianças ficam mais tempo em suas casas.

Muitas vezes a própria criança conta que ingeriu um corpo estranho e no caso de bebês, pacientes neurológicos, psiquiátricos ou com dificuldade de comunicação é importante observar se há aumento da salivação, dor para engolir, sangramento, náuseas ou vômito. Devemos nos certificar que o objeto não foi aspirado (está na traqueia ou pulmão) causando dificuldade respiratória, nesse caso deve-se procurar o hospital o mais rápido possível ou até mesmo chamar uma ambulância. Muitos dos objetos engolidos passam tranquilamente pelo trato digestivo, outros porém, precisam de intervenção médica, pois ficam impactados podendo causar obstrução e até mesmo perfuração.

O maior risco fica por conta das baterias, imãs e objetos cortantes que devem ser retirados imediatamente por endoscopia. As baterias “grudam” na parede do esôfago causando queimaduras graves. Em crianças entre os objetos engolidos com maior frequência estão as moedas, pequenas peças de brinquedo, tampas de caneta e pedaços de plástico. Já nos adultos predominam os corpos estranhos alimentares, fragmentos de ossos e espinhas de peixe. Isso acontece por dificuldade na mastigação, próteses inadequadas e até mesmo falta de atenção ao se alimentar. Quantos já engoliram o palito que sustenta um bife a rolê!

No serviço de Pronto-atendimento o paciente realiza um RX para identificar o corpo estranho e verificar a posição que ele se encontra. Se necessário é encaminhado para endoscopia digestiva para retirada. Nestes 20 e poucos anos de experiência já tive oportunidade de atender os casos mais incríveis: pacientes que engoliram pequenos gravetos, crianças que engoliram relógio, colher, sapatinhos de boneca, etc. Todo cuidado é pouco!

A prevenção sem dúvida é a medida mais importante, nunca deixe pequenos objetos ao alcance de crianças e não esqueça: sempre preste muita atenção durante as refeições.

Por Danielle Kiatkoski

8 recomendacões para você