Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Método usado pela Beetools estimula o aluno a interpretar e aplicar o conhecimento de inglês em situações reais.
Método usado pela Beetools estimula o aluno a interpretar e aplicar o conhecimento de inglês em situações reais.| Foto: Divulgação
  • Por Beetools
  • 25/06/2021 19:45

Quantas vezes você já começou algum curso de inglês e, no meio do caminho, desistiu? Aulas longas, com muita teoria, salas cheias de alunos e com pouca interação, são alguns dos motivos mais comuns que levam grande parte dos alunos a abandonarem os estudos de idiomas. Até mesmo com os novos modelos de cursos online, muitos estudantes relatam que não se sentem engajados ou motivados, pelo simples fato de estarem sempre em uma posição reativa na aprendizagem, absorvendo apenas o conteúdo que é transmitido previamente pelo professor.

Contudo, em 2018, o mercado de educação ganhou um novo capítulo, com a chegada da edtech Beetools. A startup que nasceu com o propósito de revolucionar o ensino de idiomas no Brasil e no mundo, ganhou a preferência dos diversos alunos com o método que associa as melhores tecnologias de educomunicação como gamificação, inteligência artificial e realidade virtual à aprendizagem ativa.

Sem renunciar a relação entre professor e aluno, as aulas presenciais e digitais seguem os princípios da Flipped Classroom, ou sala invertida, em português, que consiste na inversão da organização de uma sala de aula tradicional, incentivando o aluno a buscar os primeiros conhecimentos sobre o assunto, por meio das atividades, da leitura e da tecnologia. Depois desse primeiro contato com o tema, o aluno se reúne presencialmente ou virtualmente com o professor para discutir o que foi aprendido, sanar dúvidas e garantir que o estudante assimilou o que precisava sobre o conteúdo.

De acordo com a Head of Academic da Beetools, Adriana Masson, a modalidade é o grande diferencial da startup, uma vez que estimula o aprendizado através da experiência e da prática. “Reformular o ensino de inglês no Brasil surgiu por uma exigência muito razoável: as pessoas não aprendem da mesma forma. Com o método da sala invertida, proporcionamos ao aluno uma aprendizagem livre e de forma ativa. Ou seja, o estudante fica responsável pelo seu processo educacional, buscando o conhecimento prévio da lição e, com isso, o professor realiza o papel de mentor, dedicando o período da aula para aprofundar o tema e desenvolver os assuntos mais importantes”, explica Adriana.

Você tem dificuldades em aprender inglês? Na Beetools você é o guia do seu aprendizado e desenvolve habilidades que vão fazer o inglês se tornar um hábito ao longo da sua vida.

Atribuir significado ao aprendizado é a aposta da Beetools para um ensino de idiomas mais inteligente e proativo
Atribuir significado ao aprendizado é a aposta da Beetools para um ensino de idiomas mais inteligente e proativo| Divulgação

A verdade sobre aprender inglês

Aprender inglês não é uma tarefa fácil e não acontece do dia para a noite. Também não existe uma fórmula pronta que funciona para todas as pessoas, mas é possível tornar a aprendizagem mais eficiente e, consequentemente, mais rápida. Por isso, a Beetools aposta no conceito de ‘aprendizagem com propósito’, fazendo com que o aluno aprenda inglês de forma inteligente, atribuindo objetivos ao ensino.

Para desmistificar o ensino de idiomas no país, a startup criou uma campanha que ressalta as crenças e as verdades sobre aprender inglês e como é possível superar as barreiras do processo de aprendizagem. “É preciso ter dedicação para aprender inglês e, por mais que seja o objetivo de muitos alunos, é o que mais as pessoas procrastinam”, relata a Head of Academic da Beetools. A campanha evidencia a importância do aprendizado contínuo e da mentalidade de crescimento, fazendo com que os alunos se desenvolvam constantemente, com o passar do tempo.

A startup ainda acredita que o aluno precisa estar imerso nos momentos e situações marcantes de sua vida para que o cérebro, através de sensações e reações, seja estimulado e, consequentemente, potencialize o processo de aprendizagem. E é por meio da realidade virtual que isso acontece. “As habilidades mais difíceis no aprendizado do inglês são ouvir e falar. Por isso uma das tecnologias que fazem parte das nossas aulas é a Realidade Virtual. Cada aluno recebe os seus próprios óculos de VR e imerge em diversas situações do cotidiano. Lá despertamos sentimentos e emoções, tornamos as aulas mais divertidas, além de levarmos nossos alunos a lugares onde o inglês é a língua principal, como nos Estados Unidos, por exemplo”, detalha Adriana.

Olhando para o pilar: propósito, eficiência e agilidade, a Beetools também aplica em suas metodologias o conceito de Educação 5.0. que, além de tratar cada aluno individualmente, coloca as competências socioemocionais dos estudantes como parte essencial do aprendizado.

E se você pudesse simular e treinar para os momentos mais decisivos da sua vida sem sair de casa? Vá além da imaginação e pratique inglês imersivo com a Beetools. Faça já uma aula experimental.