Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Com visual e textura cada vez mais próximos dos elementos encontrados na natureza, padrões inspirados em pedras contribuem para dar um ar sofisticado aos ambientes
Com visual e textura cada vez mais próximos dos elementos encontrados na natureza, padrões inspirados em pedras contribuem para dar um ar sofisticado aos ambientes| Foto: Divulgação/Berneck
  • Por Berneck
  • 18/03/2021 17:39

Você já deve ter visto tampos de mesa, aparadores e painéis de TV que parecem ser feitos de mármore ou granito, mas, na verdade, são produzidos em painéis de madeira, como MDF ou MDP. Este tipo de móvel vem se tornando cada vez mais comum nos últimos anos, à medida que estas e outras pedras vêm reconquistando espaço nos projetos de interiores – saindo de cozinhas e banheiros, onde sempre estiveram presentes, para ganhar outros cômodos da casa.

“Creio que, há uns três ou quatro anos, voltamos a ver as pedras nos interiores. Mas isso também foi tendência nos anos 1940, que deu um ar mais sofisticado aos ambientes e voltou no anos 1970, com decorações mais rebuscadas”, conta a designer de interiores Elis Garcez. A diferença, diz ela, é que desta vez o retorno acompanha o movimento de trazer elementos naturais para dentro das casas das pessoas, promovendo uma reconexão com a natureza e criando espaços de refúgio - o que também se tornou uma demanda para projetos comerciais e corporativos.

Pedras reconquistaram espaço nos interiores a partir da tendência de valorizar elementos naturais nos projetos
Pedras reconquistaram espaço nos interiores a partir da tendência de valorizar elementos naturais nos projetos| Bigstock

Como essa onda veio em um momento de maior conscientização sobre o uso de recursos naturais e de busca por soluções mais acessíveis, a saída sustentável encontrada foi o desenvolvimento de materiais que replicam padrões, texturas e a sofisticação dos elementos naturais. No caso das pedras, vieram papéis de parede, pisos vinílicos, porcelanatos e os já mencionados painéis, que são revestidos com laminado melamínico decorativo e utilizados tanto na execução de móveis quanto no revestimento de paredes.

“Na verdade, na Europa, o painel sempre foi uma alternativa, pela escassez de material que tem lá. Nosso caso é o contrário, da abundância. Só que, nos últimos tempos, o acesso às pedras naturais também ficou mais difícil”, afirma Andrea Colin Corrêa, supervisora de desenvolvimento de produtos da Berneck, que trabalha com uma série de painéis revestidos com padrões inspirados em pedras e outros materiais, como cimento e aço corten.

No Brasil, abundância de recursos naturais tornou o uso de granitos e mármores em cozinhas e banheiros mais comum do que em outros países
No Brasil, abundância de recursos naturais tornou o uso de granitos e mármores em cozinhas e banheiros mais comum do que em outros países| Bigstock

Andrea explica ainda que, além da tendência de reconexão com a natureza, da sustentabilidade e da acessibilidade, outro fator que impulsionou a popularização dos painéis foi a evolução tecnológica, que permitiu que eles fossem cada vez mais parecidos com os elementos naturais. A arquiteta Deborah Pinheiro concorda: “Hoje, a tecnologia de impressão e de textura dos padrões faz tudo parecer muito mais natural. Ela nos permite ter um material visualmente melhor, com toque mais agradável”, diz.

O uso só não é recomendado em áreas molhadas. “Apesar de remeter à pedra, os painéis não têm as mesmas características. Então, não indicamos para uso em áreas molhadas. Nesse caso, as pedras são insubstituíveis”, explica Andrea. Longe da água e com os cuidados adequados - limpeza com pano seco e sem produtos abrasivos - os móveis e revestimentos de parede feitos com os painéis ainda têm longa durabilidade.

Versatilidade e leveza

Mesmo que as pedras naturais continuem em cena e sendo bastante valorizadas por seu requinte, Deborah enumera uma série de vantagens do uso de painéis revestidos, como a versatilidade para mistura com outros materiais, a rapidez do processo de montagem e a leveza. “A pedra é um material muito mais pesado. Para transportar e manipular uma pedra natural de grande formato, imagine a logística e o custo envolvidos”, pondera.

A versatilidade, aliás, também é citada por Andrea e Elis. As três destacam que são inúmeras as combinações de estilos, materiais e cores possíveis ao utilizar os padrões da Berneck inspirados em pedras, como Volakas, Marquina e Terrazza.

Deborah sugere a combinação do Volakas, padrão claro inspirado no mármore que integra a mais recente coleção da marca, a Nômade, com cores escuras, como tons de cinza e amadeirados escuros, para criar um ambiente sofisticado. Ao criar um moodboard com este padrão para a Expo Revestir 2020, usou, além das cores, veludos verdes e texturas de linho.

Conforme Andrea, o padrão Marquina, uma releitura de um mármore escuro, também pode ser utilizado na composição de um ambiente escuro para salientar uma caraterística mais dramática. Ela sugere a combinação com o padrão Nero, da linha Rust da marca, que remete à madeira escura ebanizada, e/ou com o padrão Chumbo.

  • Na Expo Revestir 2020, a arquiteta Deborah Pinheiro e a designer de interiores Elis Garcez mostraram como, aliados a outros materiais, os padrões inspirados em pedras compõem ambientes com climas diferentes
  • Na Expo Revestir 2020, a arquiteta Deborah Pinheiro e a designer de interiores Elis Garcez mostraram como, aliados a outros materiais, os padrões inspirados em pedras compõem ambientes com climas diferentes

O Terrazza, por sua vez, que tem características que se assemelham às de granilite e também integra a coleção Nômade, pode ser utilizado para criar um clima mais retrô ou mais urbano, dependendo da composição usada. Responsável por criar um moodboard para este padrão, o qual também foi apresentado na Expo Revestir 2020, Elis apostou no ambiente retrô a partir da combinação com candy colors, linho, metal dourado e papel de parede com referências geométricas.

Para Andrea, porém, ao misturar o produto com cores, como tons de rosa ou azuis, é possível criar um ambiente jovial, contemporâneo e urbano. Conforme ela, a tomada de decisões para criar um tipo de ambiente ou outro deve passar sempre pela busca por harmonia e pelo respeito à história e aos desejos do cliente.

Padrões híbridos

Dentre os materiais em voga nos projetos de arquitetura e interiores, não são só as pedras que inspiram os padrões da Berneck. Entre aqueles chamados híbridos, ou seja, que misturam características de diferentes inspirações, estão o Argento e o Ruggine, que remetem ao cimento queimado e ao aço corten, respectivamente. Neste caso, a inspiração vem de materiais que estão em voga na arquitetura - e que trazem contemporaneidade e urbanidade aos projetos.

Ruggine
Ruggine| Divulgação/Berneck
Argento
Argento| Divulgação/Berneck

“O Argento é nossa proposta para o cimento queimado. Não busca ser cimento queimado, mas remete a ele: um material mais rústico e, ao mesmo tempo, bastante contemporâneo. O Ruggine também não é aço corten, porque se fosse estaria sempre competindo com o natural e nós não queremos isso”, explica Andrea.