Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Quadro comparativo da divisão de matriz elétrica brasileira
Quadro comparativo da divisão de matriz elétrica brasileira| Foto: fonte: ANEEL/ABSOLAR, 2019
  • Por Borne Engenharia
  • 15/10/2019 12:35

A matriz energética brasileira tem uma fonte principal de geração, que é a hidrelétrica. De acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), atualmente, mais de 60% do total da energia consumida no Brasil vêm de usinas hidrelétricas.

Apesar de ser uma fonte limpa de geração de energia, baseada no recurso hídrico, essas usinas trazem prejuízos específicos para o meio ambiente, como, por exemplo, o fato de gerarem grandes desmatamentos, inundarem áreas de mata e causarem problemas à flora e fauna das regiões alagadas.

Para reduzir a dependência brasileira deste tipo de geração, é imprescindível que os investimentos em outras fontes sustentáveis e renováveis sejam ampliados no país.

Alternativas à geração hídrica de energia

Hoje, o mercado brasileiro de energia também conta com usinas eólicas, solares, termelétricas e nucleares. A principal fonte geradora de energia elétrica no país é a Usina de Itaipu, localizada no Rio Paraná.

O Brasil é considerado uma potência hidráulica, graças à abundância de água, mas o futuro é verde e o território brasileiro tem todas as condições e características necessárias para se tornar uma potência também no segmento das usinas solares e eólicas.

Com a sexta energia mais cara do mundo, o Brasil necessita de alternativas para gerar e distribuir eletricidade para sua população. Como o país tem dimensões continentais, o desafio é grande!

A expectativa dos especialistas do mercado brasileiro de energia é que, até o ano de 2030, a participação das hidrelétricas na matriz energética brasileira caia para algo em torno de 44%, abrindo espaço para as novas fontes de energia, com soluções sustentáveis, limpas e renováveis.

O avanço da energia solar

O território brasileiro como um todo tem um excelente índice de insolação. O destaque vai para a região Nordeste, considerada a área com o maior potencial para a implantação de usinas de energia solar no país.

As usinas fotovoltaicas são fontes renováveis e estão em expansão no Brasil, graças ao barateamento das tecnologias e ao desenvolvimento de produtos nacionais. Empresas como a Borne Energia, de Curitiba, no Paraná, estão investindo para que essa matriz energética conquiste cada vez mais espaço no país.

A empresa oferece soluções energéticas rentáveis e seguras para seus clientes, otimizando recursos econômicos e ambientais. O foco da Borne Energia é ampliar projetos de geração de energia sustentável em todas as regiões brasileiras. Atualmente, a empresa atua nas regiões sudeste, nordeste e sul do Brasil e conta com um amplo acervo técnico no setor de usinas solares.

Os benefícios da energia solar fotovoltaica

O avanço de geradores solares traz diversos benefícios ambientais e econômicos. Futuramente, essas tecnologias garantirão aos brasileiros uma energia elétrica com baixo custo, com fontes limpas e mais flexibilidade.

Em um país naturalmente ensolarado como o Brasil, o uso de painéis solares para a geração de energia faz todo sentido. Empresas e residências que optam por projetos de usinas solares chegam a economizar até 95% nas contas de energia.

As políticas públicas e de incentivo do governo federal serão fundamentais para que ocorra essa virada na matriz energética nacional, a fim de que o setor de energia limpa receba os incentivos que merece para se desenvolver no país.

Além de ser uma energia renovável e de fonte inesgotável, as usinas fotovoltaicas ainda garantem redução das emissões de gases de efeito estufa e baixo impacto ambiental. Para saber mais sobre o tema, fale com os especialistas da Borne Energia.