Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Moqueca Pedra Lagosta
Moqueca Pedra Lagosta| Foto: Fernando Zequinão/ Divulgação
  • Por Pedra Lagosta
  • 23/12/2020 13:08

Quando a vontade de comer frutos do mar vem à cabeça e atiça o estômago, logo se imagina um bom lugar para matar o apetite. Muito cobiçado por quem gosta de saborear pratos diferentes e elaborados, peixes, camarões, ostras e lagostas são comumente consumidos em estabelecimentos especializados em seu preparo. E a justificativa é bastante simples: a temperatura e o ponto ideias no preparo são fundamentais para uma experiência completa, o que só acontece se o produto for saboreado logo após sair da cozinha.

Por conta disso, muitos restaurantes não conseguem que o produto tenha a mesma qualidade em uma entrega, o que afasta o consumidor do serviço de delivery. Mas e se toda essa qualidade pudesse ser transportada para o sofá de casa sem perder qualquer aspecto de textura ou sabor dos frutos do mar?

Após muito estudo e aplicação de diferentes técnicas, o restaurante Pedra Lagosta, localizado no bairro Rebouças, em Curitiba, conseguiu chegar a uma resposta positiva. Com o cardápio fortemente ligado a frutos do mar, a casa nasceu para oferecer comida que possa ser consumida no conforto do lar ou até no trabalho, mas com o vislumbre de todas as sensações e sabores que o consumo no restaurante oferece.

O segredo para a entrega de um produto de qualidade, segundo o chef Paulino da Costa, responsável pelo menu do Pedra Lagosta, é focar nos detalhes. Isso começa pela apreciação de todos os pratos de maneira completa, ou seja, com entrada, prato principal e sobremesa. Além disso, importa o acervo de qualidade de insumos. O restaurante, portanto, deve encontrar técnicas distintas das que usa no próprio restaurante para refeições presenciais se quiser manter o mesmo padrão a distância.

A técnica usada pela cozinha do local foi o envio do molho de modo separado. Pouco dele é inserido no alimento, mas a maior parte é misturada pelo próprio cliente na hora de consumir. Esse é um bom exemplo para as massas, que costumam absorver o molho no percurso até a casa do consumidor, ficando com textura e gosto diferentes do original. “Caso seja entregue em separado, o cliente mistura os dois no momento em que for comer e consome o produto como se estivesse no restaurante”, diz o chef.

Outro grande diferencial são as embalagens de entrega. A capa do recipiente, além de muito resistente, é transparente para que o cliente seja capaz de ver o produto. O ponto principal é que a embalagem é capaz de segurar a temperatura do alimento por até 40 minutos, o que faz com que a comida não precise passar por processo de requentamento e, com isso, tenha a textura prejudicada. Ainda assim, se o cliente quiser consumir sua refeição após o período indicado, pode colocar a embalagem no micro-ondas, já que ela é própria para isso.

  • Maionese pedra lagosta
  • Camarão Pedra Lagosta o rival
  • Grelhado de frutos do mar

Segundo o chef, outros dois pontos agregam valor ao serviço de delivery do Pedra Lagosta. O primeiro deles é o fato de o estabelecimento ter apostado em um serviço de entregas próprio e com profissionais treinados para garantir que o pedido chegue com a mesma excelência que saiu do restaurante. O segundo deles, é a possibilidade da harmonização perfeita. Para quem prefere consumir os pratos com um vinho especial, o restaurante oferece uma série de rótulos escolhidos a dedo para que o cliente possa ter a experiência completa, mesmo em casa.

A ideia é que após o período de pandemia, o restaurante possa também fazer a inauguração de sua unidade física, mas continue contando com o novo conceito de consumo de frutos do mar em casa e no trabalho.