Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

fechado desde 2013

Reforma do centro esportivo da Praça Oswaldo Cruz atrasa mais uma vez

Complexo de esportes está fechado desde dezembro de 2013

  • Da Redação
Entrada do centro de esportes da Oswaldo Cruz: última promessa de reabertura era para dezembro, o que não ocorreu. | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo/Arquivo
Entrada do centro de esportes da Oswaldo Cruz: última promessa de reabertura era para dezembro, o que não ocorreu. Aniele Nascimento/Gazeta do Povo/Arquivo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Pela terceira vez em quase três anos, a entrega da reforma do Centro Esportivo Dirceu Graeser, que fica na Praça Oswaldo Cruz, em Curitiba, está atrasada. A última promessa da prefeitura de Curitiba era que o local estivesse pronto para uso em dezembro de 2017, mas o prazo não foi cumprido. Desta vez, porém, as obras foram terminadas no mês combinado e vistoriadas pela Secretaria Municipal de Obras (SMO) no dia 22 de dezembro – faltou apenas o repasse do local para a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Smelj).

Conforme a Smelj, o repasse deve acontecer na semana do dia 8 de janeiro, mas ao longo do mês ainda serão adquiridos alguns itens para práticas esportivas. Entre eles, novos equipamentos para a sala de musculação e outros materiais para aulas, que devem ser instalados ainda este mês. A partir do dia 5 de fevereiro, tem início as chamadas atividades sistemáticas oferecidas nos centros esportivos da Smelj, que incluem ginástica, alongamento e natação, por exemplo.

A secretaria diz que a inscrição para atividades no centro esportivo poderá ser feita a partir de fevereiro. Não foram esclarecidas, porém, quais serão as práticas oferecidas, horários e meios de inscrição.

Com piscina para natação e quadra poliesportiva coberta, o centro está fechado desde dezembro de 2013, quando apresentou goteiras e risco de levantamento de tábuas no piso da quadra. Outra reivindicação antiga dos usuários do centro de esportes era a cobertura da piscina, que apesar de aquecida, ficava a céu aberto e tornava complicado sair da água quente para o vento gelado nos dias mais frios de Curitiba. A reforma acabou sendo necessária também em outros pontos do local, e foi iniciada em fevereiro de 2015 com prazo inicial de um ano.

Sequência de atrasos

Para o primeiro atraso, que jogou o prazo para frente em mais de um ano, a prefeitura justificou que, durante as escavações, foram encontradas tubulações e antigos tanques de óleo com risco de impacto ambiental, acarretando novos serviços. A empresa responsável pela execução da obra foi autuada pelo Ministério Público do Trabalho e ficou impedida de dar andamento normal da obra até as devidas regularizações solicitadas.

De lá para cá, o novo prazo de entrega, que seria em dezembro de 2017, só foi estabelecido em outubro do ano passado, deixando a população à espera de satisfações. Nesse meio tempo, a gerente de TI e ex-frequentadora da praça Rafaela Silva criou um abaixo-assinado para tentar resolver a situação. Com pouco mais de 1,2 mil assinaturas, o documento foi entregue para a prefeitura em outubro.

Mas, mesmo após a entrega, Rafaela continuou postando atualizações da reforma na versão online do abaixo-assinado. A última postagem, do dia 21 de dezembro, revela a falta de esperança da reabertura após tantos adiamentos: “Fomos enganados mais uma vez e a história se repetiu. Como a causa deste abaixo-assinado não foi atendida, vou mantê-lo aberto até que seja, e se porventura ou milagre haja novidades do caso, postarei uma atualização”, escreveu.

Colaborou: Cecília Tümler

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE