Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

saúde

Surto de conjuntivite atinge o Litoral do PR; 13 mil casos já foram registrados

Apenas no domingo de Páscoa (1.º), mais de 600 atendimentos para conjuntivite foram feitos na UPA

  • Gazeta do Povo
 | Pixabay
Pixabay
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Um surto de conjuntivite está atingindo a cidade de Paranaguá, no Litoral do Paraná, desde o início do mês de março. O alerta foi divulgado pela prefeitura do município nesta segunda-feira (2), após unidades de saúde terem tido grande procura durante o fim de semana de Páscoa. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap), somente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), foram registrados mais de 13 mil casos conjuntivite no mês passado, o que representa quase 10% dos 140 mil moradores de Paranaguá, segundo o último censo do IBGE.

Apenas no domingo de Páscoa (1.º), mais de 600 atendimentos para conjuntivite foram feitos na UPA. No sábado (31), foram 491 casos e na sexta-feira (30), outros 383. Para dar atendimento a toda a população, a Semsap teve, inclusive, que remanejar alguns médicos das unidades básicas de saúde para fazerem plantão na UPA. Mesmo assim, com a demanda muito acima do normal, houve registro de demora no atendimento.

Leia também: Cães são apontados como principais suspeitos pela morte de aves na RMC

Mesmo com o remanejamento de médicos de outras unidades, a orientação da secretaria é de que a UPA seja procurada apenas em casos mais graves, para que o sistema não fique sobrecarregado. Casos menos urgentes devem ser atendidos em unidades básicas mediante agendamento. Ainda não há informações sobre falta de medicamentos para conjuntivite na região.

Outras cidades do PR

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, por enquanto não há registros de aumento no número de casos na capital. Já sobre o risco do surto se espalhar para outras cidades, a Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (Sesa) explica que também não há informações. Isso porque, segundo a Sesa, conjuntivite não é uma doença de notificação obrigatória, assim como gripe e tuberculose, por exemplo. A secretaria afirma que a responsabilidade pelo controle desse tipo de doença é de cada município.

Veja também: O crime venceu: empresário fecha loja após ser alvo de ladrões 5 vezes em 2018

Sintomas e tratamento

Conforme o médico José Antonio Ferreira Martins, responsável clínico da Semsap de Paranaguá, a conjuntivite viral implica na inflamação de parte do olho e costuma aparecer sempre nesta época do ano. Apesar de não ser grave, é uma doença altamente contagiosa e que provoca incômodo. Geralmente os dois olhos são comprometidos, e o contágio é feito pelo contato direto da pessoa doente com objetos contaminados. Isso ocorre com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.

Os sintomas se apresentam com olho vermelho e lacrimejante, inchaço nas pálpebras, intolerância à luz e visão embaçada. “Ao sinal dos primeiros sintomas é importante iniciar a separação dos objetos, para evitar o contato e assim disseminar a doença para a família inteira”, orienta o médico.

Com o tratamento adequado a doença desaparece entre 5 e 7 dias. Não existe tratamento específico para conjuntivite viral. Para diminuir o desconforto é importante utilizar soro fisiológico gelado e compressa nas pálpebras, ou ainda usar colírios lubrificantes. Outras medidas ajudam a evitar a propagação da doença, como lavar as mãos com frequência e não a colocar nos olhos e nem coçar. É importante não compartilhar lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal, além de evitar piscinas. Não usar também maquiagem de outras pessoas e toalhas de rosto.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE