Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

curitiba

Confirmação de três shoppings consolida comércio na Linha Verde

Novos centros comerciais e lojas de grande porte transformam o cenário da antiga rodovia e devem acelerar ocupação da área

  • Liana Suss
Barracões darão espaço ao comércio no terreno onde será construído o Shopping Boulevard, na Linha Verde |
Barracões darão espaço ao comércio no terreno onde será construído o Shopping Boulevard, na Linha Verde
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A confirmação da construção de três shoppings na área de influência da Linha Verde vai consolidar a vocação comercial do novo eixo estrutural de Curitiba. A região ganhou um perfil que mistura condomínios residenciais e comércio de grande porte, como atacados e shopping centers. É um formato diferente de outras vias estruturais, onde há mais espaço para pequenos comércios.

INFOGRÁFICO: Confira a estratégia para construção de estabelicimentos na Linha Verde

Juntos, quando concluídos, os shoppings Atuba, Plaza Jockey e Park Shopping Boulevard devem somar 399 mil m² de área total construída, oferecendo varejo, alimentação, serviços e lazer em três regiões distintas da Linha Verde. Com previsão de inauguração para 2017, os projetos foram recentemente confirmados pelos grupos investidores e vão acelerar as mudanças na Linha.

“Os empresários que já estão presentes devem aumentar os investimentos. Depois de prontos, os shoppings devem atrair muitos compradores para os condomínios e edifícios residenciais da região”, analisa o economista Fábio Tadeu Araújo, sócio-diretor da Brain Bureau de Inteligência Corporativa.

A região, que antes tinha aspecto de rodovia e era caracterizada por estabelecimentos como postos de combustível, restaurantes de beira de estrada, oficinas e borracharias, já mudou de cara com estabelecimentos como shoppings de automóveis, hipermercados e grandes lojas. Desde 2012, foram inaugurados o Autoshop Linha Verde, que reúne 25 concessionárias, o Muffato Max, com mais de 15 mil m², a Leroy Merlin, a Mega Casa China e a Decathlon.

“À medida que a região se valoriza, começa a expulsar barracões logísticos, pontos industriais e lojas de atacado de menor valor, que dão lugar a grandes investimentos”, diz Araújo. Para ele, as lojas do pequeno varejo chegarão em alguns anos, quando houver mais densidade populacional.

Shoppings

Na região norte da via, o Shopping Atuba deve atrair moradores de bairros como Santa Cândida, Bacacheri e Bairro Alto. Além de lojas, cinema e praça de alimentação, o local vai abrigar um centro médico com 28 conjuntos. “A região está ganhando um novo perfil, de famílias mais jovens com bom poder aquisitivo, por isso decidimos oferecer o que falta aos moradores, um mix de comércio, lazer e serviços próximo a suas residências”, diz Félix Strobel Junior, diretor da incorporadora Mendocino Participações, parceira da construtora Strobel no empreendimento.

Junto ao Jockey Clube e próximo à Linha Verde, o Jockey Plaza Shopping Center, do Grupo Tacla, deve ser o maior shopping de Curitiba, com 220 mil m² de área construída, contra 154 mil m² do Shopping Palladium, atualmente o maior da cidade.

Já o Park Shopping Boule­vard, um investimento do empresário Icek Gelhorn, fica mais ao sul e deve abrigar aproximadamente 270 espaços comerciais, além de salas de cinema e uma alameda de restaurantes. “O projeto do estabelecimento vai de encontro ao grande objetivo da Linha Verde, que é de remover indústrias e caminhões e transformar a região em uma área urbana a serviço da população”, diz o arquiteto Marco Calábria, responsável pelo projeto.

Alvarás

Segundo informações da Secretaria de Urbanismo de Curitiba, entre outubro de 2012 e agosto de 2014, foram concedidos 21 alvarás para a região, incluindo tanto empreendimentos residenciais quanto comerciais, e comercializados mais de R$ 34 milhões em Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs). Ao todo, mais 87 mil metros quadrados já têm construção autorizada. “Com a Linha Verde, os bairros que ficavam do outro lado da rodovia estão totalmente integrados e os investimentos devem valorizar muito a região”, diz o Secretário Municipal de Urbanismo Reginaldo Cordeiro.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE