Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Nova Gazeta do Povo

Gazeta apresenta seu novo projeto editorial ao mercado

Nova Gazeta do Povo terá foco na plataforma mobile; nomes de peso da comunicação juntam-se ao time de jornalistas

  • Ricardo Sabbag
O presidente executivo do GRPCOM, Guilherme Döring Cunha Pereira: investimentos de R$ 23 milhões | JONATHAN CAMPOS/Gazeta do Povo
O presidente executivo do GRPCOM, Guilherme Döring Cunha Pereira: investimentos de R$ 23 milhões JONATHAN CAMPOS/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A Gazeta do Povo anunciou nesta quinta-feira (6) uma ampla reformulação em seu projeto editorial. Em evento voltado a lideranças empresariais, políticas e representantes do mercado de comunicação do Paraná e do Brasil, o jornal apresentou seu novo modelo editorial, focado no digital e distribuído em plataformas móveis, além de nomes de novos colunistas e jornalistas que passam a compor sua equipe.

A Gazeta do Povo está mudando para melhor e esta mudança tem tudo a ver com você. Conheça

A partir de 30 de abril, o jornal funcionará seguindo a lógica de “mobile first”, voltado à publicação em plataformas móveis, como smartphones e tablets, e terá um novo site, tecnologicamente reformulado.

A nova Gazeta do Povo será georreferenciada, entregando seu noticiário, análises, colunas e blogs direcionados conforme os interesses de seus leitores e o local em que estejam, seja em Curitiba, no Paraná ou em qualquer lugar do Brasil.

O jornal também implementará uma iniciativa inovadora de experiência social, em que seus assinantes poderão ver quais foram os conteúdos acessados por suas redes de contatos e qual tipo de interação ocorreu.

A nova plataforma foi desenhada, ainda, para aumentar expressivamente a velocidade de carregamento de seus conteúdos, diminuindo o consumo de dados e facilitando a experiência do leitor.

Nova edição impressa semanal

Com as novidades, a Gazeta do Povo deixará de produzir sua edição impressa durante os dias de semana e lançará uma nova publicação, semanal, em formato de revista. Esta edição terá mais páginas de conteúdo, será impressa em papel de qualidade superior, com páginas grampeadas, e será recheada de conteúdos locais, nacionais e globais tratados de forma aprofundada, com análise e opinião.

A primeira edição neste formato circulará no dia 3 de junho. A Gazeta do Povo em papel jornal circulará pela última vez dia 31 de maio.

Assinante, conheça a nova Gazeta do Povo

Investimento

O presidente executivo do GRPCOM – Grupo Paranaense de Comunicação, Guilherme Döring Cunha Pereira, informou que os investimentos para a reformulação tecnológica e em pesquisa e desenvolvimento da Gazeta do Povo somaram R$ 23 milhões. “O eixo central será aprimorar ainda mais nosso DNA, tornando-o mais perceptível para o leitor”, afirmou.

“Na lógica de produção ‘mobile first’, tudo o que planejamos nós entregamos pensando em como o leitor vai acessar esse conteúdo: no celular, no tablet ou no computador”, disse o diretor de Redação da Gazeta do Povo, Leonardo Mendes Junior. “Vamos manter a diversidade de vozes e o pluralismo, contribuindo para o bom debate”, completou.

Novos colunistas e analistas

Durante o evento também foram anunciados os novos nomes de jornalistas, analistas e blogueiros que juntam-se ao time da Gazeta do Povo em seu novo formato. São eles os economistas Ricardo Amorim e Teco Medina, os jornalistas Rodrigo Constantino e Leandro Narloch e o repórter Lúcio Vaz, lotado em Brasília. Todos produzirão conteúdo exclusivo para a Gazeta, seja em comentários diários em vídeo, seja em blogs hospedados no jornal, seja em reportagens que farão parte do noticiário da Gazeta.

Novidades editoriais

Além dos novos colunistas, a Gazeta também ampliará a sua cobertura jornalística de outras formas, como no aumento da equipe de jornalistas em Brasília; no lançamento de três resumos diários de notícias, a serem enviados por e-mail aos assinantes; e no incremento de seu aplicativo para dispositivos móveis, com a função notificação, que levará as notícias essenciais do dia ao leitor no momento em que ocorram.

O foco do trabalho editorial será na explicação de conceitos de agentes e movimentos políticos, econômicos e sociais na vida das pessoas; na provocação de debates inteligentes; em inspirar os leitores a serem pessoas melhores para si mesmos, sua família e para a sociedade; em facilitar a tomada de decisões; e, claro, em informar sobre o que provoca impacto imediato no cotidiano.

O jornal também lançará o novo Guia Gazeta do Povo, reunindo eventos, o melhor da programação cultural, passeios, bares e restaurantes de Curitiba e integrando-os ao Clube Gazeta do Povo, que concede descontos e vantagens em mais de 1000 estabelecimentos comerciais.

Para o leitor da web, deixam de aparecer editorias com nomes conceituais, como Vida e Cidadania, Vida Pública e Caderno G. Os conteúdos passam a ser agrupados sobre grandes temas, como política, economia e cultura, facilitando a navegação. Permanecem em evidência as marcas do Núcleo Estilo de Vida – Bom Gourmet, Haus e Viver Bem.

A diretora da Gazeta do Povo Jornais, Ana Amélia Filizola, também anunciou, para o segundo semestre de 2017, a mudança da sede das redações da Gazeta do Povo, que deixam o prédio na Praça Carlos Gomes, no Centro, e o espaço da Fábrika, no Alto da XV, e passarão a ser agrupadas em um novo local, mais amplo e adequado às mudanças editoriais. “Teremos o espírito de uma startup de 100 anos”, sintetizou. “Tenho certeza de que nossos anunciantes vão querer suas marcas próximas do nosso leitor”, complementou.

Repercussão

O presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, descreveu como “surpreendentes” as mudanças anunciadas pela Gazeta. “Isso vai colocar a Gazeta do Povo no cerne das discussões da mídia brasileira”, disse. Parabenizando o jornal pela mudança, que classificou como “altamente relevante”, Campagnolo afirmou que a Fiep será “parceira e colaboradora” da Gazeta neste novo momento.

Leitor da Gazeta há 40 anos – “sempre fez parte da minha vida” –, o presidente do ISAE/FGV, Norman de Paula Arruda Filho, disse que, apesar de achar que vai sentir falta de ler o jornal impresso durante a semana, a mudança é “extraordinariamente necessária”. “É uma mudança radical na maneira de informar, de qualidade da informação, que leva em função o tempo das pessoas”, afirmou. O movimento, classificou, é “fundamental”.

Já para o consultor e mentor de startups Allan Costa, a Gazeta do Povo “mais uma vez deu prova de que com inteligência e sensibilidade é possível unir o digital com a necessidade do leitor por informações confiáveis e amplamente disponíveis”. Certo de que o mercado acompanhará as mudanças do jornal, Costa disse que “a iniciativa da Gazeta é sensata e coerente com o novo momento e vai gerar alta receptividade em razão de suas entregas de valor”.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE