183015

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Economia
  3. GM já teria refeito as contas para ficar e investir R$ 10 bilhões no Brasil

indústria automotiva

GM já teria refeito as contas para ficar e investir R$ 10 bilhões no Brasil

A expectativa é de que a montadora anuncie o plano de investir R$ 10 bilhões no estado de São Paulo entre 2020 e 2014

  • São Paulo
  • Estadão Conteúdo
Carloz Zarlenga, então presidente da GM Mercosul, assumirá toda a América do Sul no próximo mês de abril. | GM/Divulgação
Carloz Zarlenga, então presidente da GM Mercosul, assumirá toda a América do Sul no próximo mês de abril. GM/Divulgação
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A General Motors (GM) distribuiu nota à imprensa na tarde de quinta-feira (14), na qual afirma que fará um “anúncio importante” na próxima terça-feira (19), ao lado do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), na sede do governo estadual, o Palácio dos Bandeirantes.

O evento contará com a presença do vice-presidente executivo e presidente da GM Americas, Barry Engle, e do presidente da GM América do Sul, Carlos Zarlenga. A expectativa é de que a montadora anuncie o plano de investir R$ 10 bilhões no estado de São Paulo entre 2020 e 2024.

+LEIA TAMBÉM: Marcas precisam de carros rentáveis para não fechar fábrica ou ameaçar ir embora

O montante será anunciado 11 dias depois de o governo do estado ter divulgado um programa de incentivos fiscais à indústria de veículos. O programa prevê desconto de até 25% no ICMS para montadoras que apresentarem um plano de investir pelo menos R$ 1 bilhão no estado e gerarem no mínimo 400 empregos.

Para chegar ao desconto máximo oferecido pelo governo, as montadoras terão de investir pelo menos R$ 10 bilhões, exatamente o mesmo valor que se espera para o anúncio da GM. A montadora tem duas fábricas no Estado, uma em São Caetano do Sul e outra em São José dos Campos.

+LEIA TAMBÉM: Mesmo após apelo de sindicato, matriz da Ford confirma fim da fábrica em São Bernardo

Nos bastidores do setor, executivos afirmam que o programa de incentivos do governo do estado, embora na teoria tenha sido anunciado para toda a indústria de veículos, na prática foi desenhado para atender às demandas da GM. Renegociações com fornecedores e revendedores também teria caminhado bem.

A montadora, em janeiro deste ano, ameaçou deixar de produzir no Brasil caso não voltasse a ter lucro em 2019. Para tentar reduzir custos, passou a atuar em várias frentes, em negociações com o governo estadual, dos municípios, com sindicatos, concessionárias e fornecedores.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>