Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

carreira

Como lidar com a síndrome do impostor quando você é visto como um

Pesquisa mostra como o sentimento de que você é uma fraude atinge com mais força quem pertence a grupos minoritários

  • Kristin Wong
  • The New York Times
Síndrome do impostor é aquela sensação de que você é uma fraude em seu meio | Pixabay
Síndrome do impostor é aquela sensação de que você é uma fraude em seu meio Pixabay
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Em maio passado, me vi em uma sala cheia de jornalistas, em Los Angeles. Estava focada em uma única tarefa: fingir não ser uma fraude nessa multidão de profissionais.Ironicamente, estava em evento para entrevistar alguém sobre a síndrome do impostor, aquela sensação de que você é uma fraude em seu meio, função ou posição, independentemente de sua credibilidade, autoridade ou realizações. Um sentimento que atinge muitos de nós em algum momento de nossas vidas. Mas certos pesquisadores acreditam que os grupos minoritários incorporam esse sentimento com mais força, pois a falta de representação pode fazer com que as minorias se sintam excluídas.

A discriminação cria ainda mais estresse e ansiedade quando associada à sensação de ser um impostor, explica Kevin Cokley, professor de psicologia educacional e estudos da diáspora africana da Universidade do Texas em Austin.

Ele investigou se a sensação de ser um impostor poderia prever com mais precisão os resultados negativos na saúde mental em minorias do que a discriminação. “Conduzi um estudo e foi exatamente o que descobri”, diz Cokley. Quase todo mundo já se sentiu como uma fraude por causa de suas próprias inseguranças e a questão realmente é mais complicada para essas minorias, que podem ser tratadas como impostoras no local de trabalho (embora Cokley pondere que é importante não homogeneizar grupos minoritários como tendo uma única experiência compartilhada).

“As pessoas dizem que sua história não importa e que tudo isso é bobagem”, disse Issa Rae, estrela e uma das criadoras da série “Insecure”, da HBO. Hollywood é uma indústria que fala muito sobre inclusão. Mas, enquanto as celebridades pedem mais diversidade, as mulheres e as minorias ainda são desproporcionalmente representadas, de acordo com um relatório da UCLA. Rae afirmou que essa falta de representação vem enfatizando sua própria batalha contra a síndrome do impostor. “Foi necessário me convencer de que sou digna o suficiente para poder contar essas histórias, sabe?”, explicou.

Síndrome do impostor pode aumentar a discriminação

Cokley conseguiu inspiração para estudar a síndrome do impostor depois de experimentá-la em seu próprio campo, onde também estava na minoria étnica. “Eu me senti como um impostor. Parecia que as pessoas estavam olhando para mim e que eu seria descoberto como alguém que não pertencia a aquele lugar. Foi assim que me interessei por isso”, disse ele.

Em seu estudo, publicado no Journal of Counseling Psychology, Cokley descobriu que a sensação de ser um impostor pode aumentar a discriminação que alguns grupos minoritários já sentem, o que faz crescer seu estresse.

Rosanna Durruthy, diretora de diversidade global, inclusão e pertencimento do LinkedIn, diz que, como minoria, a pessoa pode começar a ignorar sua própria perspectiva, credibilidade e autoridade. “Estar sozinho coloca a pessoa em uma situação em que ela não está apenas se questionando, mas também procurando o consentimento dos outros”, explica ela.

Durruthy acrescentou que os trabalhadores pertencentes às minorias devem se lembrar de que trazem uma perspectiva única e diferente, o que é um ativo valioso.

“A voz deles é necessária no ambiente de trabalho e, se eles não falam, então há uma oportunidade perdida. Às vezes, os líderes são os únicos na sala a ter uma voz ou uma ideia em particular, e você precisa ter certeza de seu próprio ponto de vista”, afirma ela.

Aprender a ser assertivo é mais fácil de dizer do que de fazer, especialmente quando você se sente excluído, e Durruthy acrescenta que a questão é sistêmica e que as empresas devem estar dispostas se questionar o assunto.

Táticas para eliminar a sensação de ser um impostor:

1. Participar de um grupo com o qual tenha afinidade

É importante encontrar colegas com históricos e experiências semelhantes.

“As pessoas com forte sentimento de que são impostoras normalmente lutam sozinhas, silenciosamente. Se você está se sentindo assim, certamente não é o único”, diz Cokley. Ele recomenda juntar ou criar uma rede de afinidade, “um grupo de pessoas parecidas, com base em gênero ou etnia, em que vocês possam falar sobre suas vulnerabilidades e inseguranças”.

2. Recrute um mentor

Um mentor é especialmente útil para aqueles que lidam com a sensação de ser um impostor porque ele ou ela pode servir como âncora profissional, explica Durruthy. Seu mentor idealmente terá experiências semelhantes às suas e estará disposto a compartilhar conselhos sobre como lidar com elas.

Um mentor também deve encorajá-lo a aprimorar suas próprias perspectivas e habilidades, diz Durruthy.

3. Documente suas conquistas

Mantenha um diário e registre todos os casos em que você recebe feedback positivo, aconselha Cokley.

“Faça isso ao longo de uma semana ou um mês e depois reveja todos os casos em que obteve um bom feedback, onde lhe disseram que fez um ótimo trabalho ou que completou bem uma tarefa”, explica.

Quando a sensação de ser um impostor assumir o controle, esse diário pode servir como um lembrete de que você conquistou seu lugar nessa posição.

Rae afirmou que apesar de ainda ocasionalmente lutar contra a sensação de se sentir uma impostora, o que a ajuda é ter um mantra que a relembra de que trabalhou duro para conseguir alcançar sua posição.

“Cheguei até aqui. Não tive sorte, e ninguém vai me dizer que não mereço estar aqui.”

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE