Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

carreira

Os 4 maiores erros que as pessoas cometem na hora de pedir um aumento

Pedir aumento não tem nada de errado, mas as pessoas costumam errar na maneira de fazer o pedido. Veja o que diz o gerente sênior da consultoria de RH Michael Page, Renato Villalba

  • Infomoney
 | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Um aumento de salário é algo que a maioria dos profissionais almeja. E entre as formas de conseguir o feito, você pode simplesmente pedir. O gerente sênior da consultoria de RH Michael Page, Renato Villalba, ressalta que pedir um aumento não é errado, mas as pessoas não fazem da maneira certa.

Segundo ele, há 4 erros principais na hora de pedir um aumento: se comparar com pares, usar argumentos pessoais para justificar o pedido,  fazer a reunião com o chefe no improviso e não saber como lidar com o “não”. 

Erro 1: Se comparar com colegas de trabalho

Não é útil, nem relevante você conversar com o chefe sobre um pedido de aumento se comparando com outros colegas de equipe. Seja comparação de salário, seja de produtividade, resultados. “As pessoas que alcançaram sucesso em suas carreiras não queriam se comparar ao seus pares, queriam ser melhores. Além disso, quando comparamos o nosso salário com o de outras pessoas, corremos o risco de comparar banana com maçã porque áreas são diferentes, metas diferentes, objetivos diferentes, então não necessariamente os salários são iguais”, afirma Villalba.  

Erro 2: Usar argumentos pessoais ou outras propostas para justificar o aumento

Outro erro muito comum é levar argumentos muito mais pessoais do que profissionais para essa conversa. Por exemplo, justificar seu aumento porque precisa pagar dívidas, ou viagens, ou porque está com problemas em casa. “Quanto mais afastar disso, melhor, para a empresa entender que a intenção da pessoa é ganhar mais não pra viver melhor, mas porque quer ocupar posições melhores”, explica o gerente sênior. Sempre tente pedir uma nova oportunidade e novos desafios - que como consequência trará um aumento de salário. Não seja ganancioso durante essa negociação. 

LEIA TAMBÉM: As máquinas estão aptas, sim, para o trabalho altamente qualificado

Além disso, nunca marque uma conversa de aumento de salário, porque recebeu uma proposta de trabalho do concorrente. “É desaconselhável. Se fizer isso e preferir ficar, você ficará marcado na empresa atual”, explica Villalba.  

Erro 3: Marcar uma reunião com o chefe no improviso

O improviso está fora de cogitação. Nunca vá para uma reunião como essa sem se preparar. “Não pode ser uma conversa feita repentinamente, deve ser bem planejada. Além disso, a pessoa deve estar convencida de que merece esse aumento. Essa autoanálise faz parte de uma avaliação dela mesma como profissional, em relação a resultados, números e influencia dela”, afirma Villalba. 

Ele explica que “não necessariamente o chefe precisa saber com muita antecipação da reunião, mas ele certamente precisa saber que é algo importante”. Além disso, sempre marque um horário que não seja perto do fechamento de mês, ou de momentos em que seu líder não tem um tempo adequado para a conversa. “É um momento importante que está relacionado ao futuro do profissional na companhia”, diz. 

Erro 4: Não saber lidar com uma resposta negativa

É crucial saber lidar com uma resposta negativa. “Eu nunca vi uma pessoa sair da sala de reunião com uma resposta positiva de cara. Existe toda uma linha hierárquica e série de aprovações que vão acontecer, e isso toma tempo, segue um processo de controle e até janelas para aumentos e promoções”, explica o gerente sênior.  

Segundo o especialista em RH, há dois caminhos possíveis que você pode tomar, caso receba um não. “Se o profissional não concordar com o ‘não’, pode sair da empresa. Mas se fizer isso deve ter certeza que está certo, convicto de que merecia o aumento”, diz.

LEIA TAMBÉM: Startup cria “vale terapia” para empresas cuidarem da saúde mental de funcionários

Por outro lado, se realmente achar que não era a hora do aumento, “é muito importante que o profissional saia da reunião com um feedback muito claro e com um plano de ação de médio ou longo prazo para atingir novos objetivos que façam com que no futuro ele ganhe o aumento”, diz. 

“O feedback é uma dádiva corporativa: sempre deve ser agradecido”, complementa. Segundo ele, a partir do momento que o profissional recebe um feedback do porque não terá o aumento pedido, quer dizer que o gestor quer que ele fique na companhia e que cresça lá dentro. Além disso, a pessoa que recebe bem esse feedback vai entender onde pode melhorar para alcançar esse objetivo e vai trabalhar nisso para que esse aumento chegue mais para frente.  

Segundo Villalba, bons gestores e bons geridos traçam esse tipo de plano. E vale lembrar que levar um não faz parte do jogo, é um aviso de que pode melhorar.  

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE