Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Franquias

E-commerce de suplementos é chance de abrir o próprio negócio sem deixar o emprego

Em pouco mais de um ano, a rede Brasil Nutri Shop viabilizou 285 contratos e faturou mais de R$ 2,5 milhões. A meta é chegar a mil franquias até 2020

  • Carol Nery Especial para a Gazeta do Povo
Os sócios da Brasil Nutri Shop, rede de franquias de suplementos alimentares, Nylmar Diego Zacharias e Luiz Gustavo Guimarães. Planos de expansão pelo país são ousados. | Albari RosaGazeta do Povo
Os sócios da Brasil Nutri Shop, rede de franquias de suplementos alimentares, Nylmar Diego Zacharias e Luiz Gustavo Guimarães. Planos de expansão pelo país são ousados. Albari RosaGazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A vontade de empreender e a paixão pelo universo das academias motivaram o engenheiro químico Nylmar Diego Zacharias, de 31 anos, a lançar a rede de franquias Brasil Nutri Shop, de lojas virtuais de comercialização de suplementos alimentares e produtos voltados ao público fitness e adeptos de uma vida saudável. A ideia do negócio começou a ser desenhada enquanto ocupava um próspero cargo em uma multinacional do ramo dos cosméticos. Primeiro começou a comercializar suplementos alimentares para amigos e no velho sistema boca a boca. Fazia entregas ele próprio para economizar e escritório e estoque eram dentro do próprio (e pequeno) apartamento onde morava em Curitiba. 

Zacharias começou a fidelizar os clientes, afinal que outro fornecedor fazia entregas até no sábado à noite quando preciso? A vontade de expandir falou mais alto, mas abrir uma loja física não parecia a melhor opção, principalmente devido a excessos de burocracia e custos de manutenção. Por outro lado, a franquia online de venda de suplementos não existia. Junto a isso, o engenheiro percebeu as fragilidades do mercado, desde o fornecimento até o consumidor final, aliado ao crescimento do segmento no Brasil. O setor de suplementos alimentares registrou um acréscimo de 25% no período de 2010 a 2016 – passou de R$ 637 milhões a R$ 1,49 bilhão –, segundo dados da Brasnutri, associação que representa os fabricantes. 

LEIA MAIS: Filho de lavadeira, ele hoje fatura R$ 57 milhões com lavanderia por assinatura

Em janeiro de 2017 nasceu a Brasil Nutri Shop. Somente no primeiro ano foram vendidas 200 franquias, que resultaram em um faturamento de R$ 2 milhões. Hoje elas estão em 212 cidades de 18 estados do país, a maioria em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná. A ideia de Zacharias conquistou franqueados de diversas áreas de atuação, não necessariamente educadores físicos, nutricionistas ou fisiculturistas — estes representam uma fatia de 25%.

A maioria deles (65%) tem um emprego e administra o e-commerce, conforme o tempo disponível, como uma atividade complementar ou mesmo incentivo para empreender. “São profissionais que querem ser independentes, mas ainda não têm a segurança de largar e arriscar tudo em um novo negócio. Conforme os rendimentos aparecem, eles começam a deixar seus empregos e a assumir a gestão como proprietários”, revela o empresário.

Foi o que aconteceu com o sócio de Zacharias na rede de franquia. O colega de turma da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Luiz Gustavo Guimarães, 30, adquiriu uma franquia da Brasil Nutri Shop enquanto ainda atuava como engenheiro químico em uma indústria petroleira. Em fevereiro de 2017 foi convidado a entrar de sócio e, em agosto, abandonou de vez a carreira de formação para dedicar-se à empresa. E, ainda melhor, trocar as longas jornadas de trabalho em plataformas dentro e fora do país longe da família e dos amigos por qualidade de vida.

LEIA MAIS: Refis das pequenas empresas já está valendo. Saiba quem pode e como aderir

Meta é chegar a mil franquias até 2020

Para 2018, o objetivo é crescer 50% em faturamento, chegando à casa dos R$ 3 milhões e 300 franquias. Mas os números podem ser bem maiores, visto que 95% da meta para o ano foi atingida nos três primeiros meses deste ano. A intenção é chegar a mil franquias até 2020, com ganhos de R$ 6,5 milhões. A partir daí a rede pretende focar no incentivo às vendas por parte dos franqueados e faturar com taxa de royalties sobre o custo dos produtos e não tanto em novos contratos, para não saturar o mercado rapidamente.

Além do espaço que o segmento tem para crescer, avalia Zacharias, a ampla procura comprova o quanto o modelo é atraente, sem a temida dor de cabeça operacional. “O franqueado precisa ter apenas o dinheiro para investimento, que tem valor bastante baixo, e fazer um constante trabalho de divulgação, para conquistar os clientes. Estoque, verificação de pagamento e entrega ao destinatário, inclusive material de apoio para marketing e mídias sociais, é tudo por nossa conta”, explica.

Faturamento de R$ 8 mil a R$ 10 mil por mês

O custo para investimento é a partir de R$ 9 mil e o faturamento mensal gira, por baixo, em torno de R$ 8 mil a R$ 10 mil mensais, com lucratividade de 20% e prazo de retorno de 12 meses. Zacharias aponta diversos benefícios, como suporte, consultoria, treinamento para gerenciamento de site, vendas, gestão de clientes, de marketing e de publicidade e compartilhamento de estratégias inovadoras, sem qualquer valor adicional. 

Para manter a hospedagem do site, é cobrada uma taxa mensal de apenas R$ 39. O franqueado pode escolher o nome do site, cores e layout, dentro de padrões oferecidos. A logo pode ser padrão ou personalizada, de acordo com o pacote da franquia escolhido. “Ter a identidade própria – como é o Território do Atleta ou a Cabana do Suplemento, por exemplo – permite que o franqueado tenha senso de dono da marca. Para tranquilidade do consumidor, o selo Brasil Nutri Shop presente nas páginas de e-commerce identifica que é pertencente ao grupo, atestando a qualidade dos produtos e a confiabilidade das empresas.”

LEIA MAIS: A empresa de informática de São José dos Pinhais que virou uma startup promissora

Toda venda da rede é creditada em uma única conta da Brasil Nutri Shop. O franqueado recebe os lucros como se fosse um salário, todo quinto dia útil do mês. “Calculamos o valor de vendas e descontamos o que foi gasto com custo dos produtos, frete, taxa de pagamento (quando via cartão de crédito), imposto de nota fiscal e royalties de 20% sobre o custo da mercadoria”, conta Zacharias. 

O estoque das lojas virtuais é composto por cerca de um milhão de produtos de pelo menos 45 marcas nacionais e internacionais. São mais de mil tipos de itens, como whey protein, glutamina, colágeno, multivitamínicos e óleo de coco, além de acessórios esportivos. Hoje são três centros de distribuição, que estão em Curitiba, São Paulo e Santa Catarina. Em virtude da alta demanda, em breve unidades de armazenamento devem ser inauguradas no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e na Bahia. A estimativa até 2025 é que tenha pelo menos um centro de distribuição em cada estado onde a rede está. 

Novo centro de distribuição e loja modelo

Em junho deste ano a Brasil Nutri Shop pretende inaugurar um amplo centro de distribuição no bairro Rebouças, em um imóvel de cerca de 500 metros quadrados, para onde será transferida a equipe de 15 pessoas do escritório da rede, e onde ficará o estoque e uma loja física modelo. “Teremos mercadorias expostas de maneira setorizada, nutricionistas para orientar os clientes e sala com degustação de produtos. A ideia é criar um espaço que proporcione um diferencial de compra.”


Com dinheiro no bolso para abrir um negócio? Algumas ideias para você 👇 //bit.ly/2v0wVx3 #Empreendedorismo

Publicado por Vida Financeira e Emprego em Terça-feira, 10 de abril de 2018

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Economia

PUBLICIDADE