| Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo
| Foto: Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo

Uma ação de fiscalização nos postos de gasolina de Curitiba encontrou irregularidades em quatro estabelecimentos que praticavam a chamada "quebra de bandeira", ou seja, vendiam combustíveis de uma distribuidora diferente da marca associada ao posto. Um dos postos foi autuado por utilizar as cores da distribuidora Petrobras sem estar ligado à rede da distribuidora, o que configura, segundo a polícia, indução ao erro do consumidor. A ação, coordenada pela Divisão Policial da Capital, contou com a participação de 15 policiais civis, que percorreram oito postos da cidade. Os proprietários dos postos autuados vão responder por crime contra a ordem econômica. A pena para esse tipo de crime varia de 1 a 5 anos de prisão. A polícia não divulgou o nome ou endereço dos postos autuados. "Nenhum posto é obrigado a ter uma bandeira, mas, a partir do momento em que tem uma distribuidora oficial, não pode vender combustível comprado de outra distribuidora. A lei proíbe essa prática, que configura propaganda enganosa para o consumidor", explica o delegado Francisco Alberto Caricati.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]