i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Movo

Startup de patinetes elétricas da Cabify chega ao Brasil ainda em 2019

    • Folhapress
    • 26/04/2019 10:40
    movo-patinete-cabify-quer-vir-ao-brasil
    Patinetes da Movo nas ruas de Madri. (Foto: Divulgação/Movo).| Foto:

    A startup Movo, da espanhola Cabify, anunciou ter recebido um investimento de US$ 22,5 milhões (R$ 88,5 milhões) que será usado para expansão do seu serviço de patinetes elétricas na América Latina.

    A maior parte do dinheiro veio da seguradora Mutua Madrileña. Também injetaram recursos a Seaya Ventures e a própria Cabify. A companhia planeja trazer o serviço para o Brasil já no segundo semestre deste ano.

    Com isso, passará a fazer parte do disputado mercado de micromobilidade, formado por serviços que permitem acessar bikes, skooters e patinetes elétricos por meio de aplicativos.

    No Brasil, o mercado é liderado pela empresa Grow, joint venture formada no começo do ano pelas empresas Yellow, nacional, e a mexicana Grin, especializada em patinetes.

    A Uber já afirmou que passará a disputar esse segmento no Brasil em breve, a partir de sua startup Jump.

    Em São Paulo, onde as patinetes se tornaram febre, 11 empresas pediram autorização para a Prefeitura para oferecer os equipamentos em fevereiro.

    A Movo já tem operações no México, Chile, Colômbia e Peru, além de Espanha. A ideia da companhia é chegar em 10 países até o final de 2019.

    Em nota, Juan de Antonio, fundador da Cabify, disse ter como eixo central de sua estratégia integrar todas as alternativas que melhoram a mobilidade nas cidades, desde alternativas de pessoa a pessoa e táxis até opções de micromobilidade como as oferecidas pelo Movo.

    A Movo afirma ter trabalhado desde o início de suas operações em parceria com as autoridades locais, já que possui autorizações oficiais de governos que possuem um regulamento para a micromobilidade, como de Madri e da Cidade do México.

    A competição promete ser acirrada. Ainda no início de abril, o jornal O Estado de S.Paulo informou que a Grow estava na rota para ser um dos primeiros investimentos do fundo bilionário japonês SoftBank no Brasil, ao lado da fintech de crédito Creditas.

    1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 1 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

    • A

      Alvaro

      ± 0 minutos

      Já não basta ter que lutar pelo espaço das calçadas com os ciclistas de toda espécie, já estamos dis****ndo com os patinetes. Esses usuários são egoístas, adotando um meio de "transporte" pago ****** e egoísta pois não desviam de se caminho, sendo o pedestre que tem que desviar. A convivência com esses indivíduos deseducados prova que empresas e governos só têm interesse em dinheiro, sem ter como corolário, a educação desse uso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso