Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

bncc

Conselho adia votação de nova base curricular

Após mudanças no texto final, conselheiras pediram mais tempo para analisar a proposta

  • Gabriel de Arruda Castro
Presidente do CNE, Eduardo Deschamps (esquerda), ao lado do ministro Mendonça Filho | Antonio Cruz / Agência Brasil
Presidente do CNE, Eduardo Deschamps (esquerda), ao lado do ministro Mendonça Filho Antonio Cruz / Agência Brasil
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Conselho Nacional de Educação (CNE) adiou a votação da nova Base Nacional Comum Curricular, incialmente prevista para esta quinta-feira.

O presidente do CNE, Eduardo Deschamps, concedeu pedido de vista a três conselheiras do colegiado, que pediam mais tempo para a discussão. Com o adiamento, não há data para a aprovação do texto. 

“Nós só recebemos essa documentação completa agora, então não tivemos a oportunidade de fazer uma leitura necessária e adequada a algo dessa natureza”, afirmou a conselheira Márcia Ângela da Silva Aguiar, autora do pedido. A solicitação de adiamento foi subscrita pelas conselheiras Malvina Tuttman e Aurina de Oliveira Santana.  

Uma das mudanças feitas na reta final foi a exclusão de trechos que tratavam de “questões de gênero”. Agora, o texto reconhece que há diferentes concepções sobre sexualidade e gênero, e inclui o tema na abordagem sobre religião.

“Quando à temática de gênero, entendeu-se que o CNE deve, em respostas as demandas sociais, aprofundar o debate sobre essas temáticas podendo emitir posteriormente orientações para o tatamento de ssa questão”, afirma o parecer final. 


Apesar de a proposta não ter sido votada, os relatores da BNCC apresentaram parecer favorável à aprovação do texto, e o colegiado aprovou regime de urgência para a aprovação da proposta. Na prática, isso assegura à BNCC a prioridade na pauta do CNE. 

No parecer apresentado nesta quinta, também está previsto que a implementação dos novos parâmetros curriculares será obrigatória apenas a partir de 2020.

Durante a sessão, que teve início durante a manhã e se encerrou por volta das 16h30, integrantes de sindicatos e do movimento estudantil protestaram contra o texto final e o tratamento dado às questões de gênero.

Em entrevista coletiva para anunciar o lançamento do novo Fies, no fim da tarde, o ministro da Educação, Mendonça Filho, disse que o ministério está em debate permanente sobre a base curricular. "Cabe ao CNE elaborar a resolução que significará a apreciação dessa última versão enviada. O que houve e que continua havendo  é um diálogo permanente entre os consleheiros do CNE e a área técnica do MEC”, afirmou.

Processo

Para que a BNCC seja avalizada, é preciso a aprovação de uma maioria simples dos presentes. O CNE é composto por 24 membros.  

Prevista no Plano Nacional da Educação e na Lei de Diretrizes e Bases (LDB), a BNCC estabelece as competências e habilidades esperadas do aluno em cada série escolar. Escolas públicas e particulares precisam seguir as diretrizes do documento.  

Após a apreciação do CNE, o documento seguirá para as mãos do Ministério da Educação (MEC).

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Educação

PUBLICIDADE