140619

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Educação
  3. Oposição quer que ministro se retrate por ter dito que “brasileiro viajando é canibal”

reivindicação

Oposição quer que ministro se retrate por ter dito que “brasileiro viajando é canibal”

Ministro da Educação poderá ainda ser obrigado a comparecer a uma audiência com deputados. Se ele não for, estaria sujeito à punição por crime de responsabilidade

  • Brasília
  • Estadão Conteúdo
 | Marcello Casal jrAgência Brasil
Marcello Casal jrAgência Brasil
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) anunciou na manhã desta quarta-feira (6) que a oposição reuniu 176 assinaturas para apresentar um requerimento de convocação do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, para que ele explique declarações que estariam sendo consideradas pejorativas contra brasileiros.

Em entrevista à revista Veja, o ministro afirmou que "brasileiro viajando é um canibal". "Rouba coisas dos hotéis, rouba assentos salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo. Esse é o tipo de coisa que tem de ser revertido na escola", disse.

Leia também: Em congresso, professores cantam hino da União Soviética e gritam “Lula Livre”

Para Molon, é inaceitável a postura do ministro. "São declarações inaceitáveis para um ministro da Educação. Alguém que nasceu em outro país e exerce um cargo tão alto no nosso não pode desferir um ataque tão grave à honra dos brasileiros", afirmou.

O requerimento precisará ser votado pela Câmara. Se for aprovado, o ministro é obrigado a comparecer a uma audiência com os deputados no plenário da Casa. Se ele não for, pode ser punido por crime de responsabilidade.

Entrevista

Em entrevista à Veja, Vélez disse que o “brasileiro rouba coisas dos hotéis, rouba o assento salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo”. Contra esse tipo de comportamento, ele defendeu que disciplinas de educação moral e cívica devem voltar a ser aplicadas no ambiente escolar. “É necessário lembrar que existem contextos sociais diferentes e que as leis dos outros devem ser respeitadas”, falou ao jornal."

Durante a conversa, o ministro também reiterou seu compromisso em combater a doutrinação marxista nas instituições de ensino e comentar sobre assuntos como: cotas, mensalidade em universidades e escolha de reitores.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE