Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Marcos Guilherme garantiu a classificação do Atlético em Juiz de Fora | Agência AGIF/AGIF
Marcos Guilherme garantiu a classificação do Atlético em Juiz de Fora| Foto: Agência AGIF/AGIF

O Atlético chegou a Juiz de Fora muito pressionado após a derrota em casa no Atletiba do último fim de semana. O elenco chegou a sofrer uma emboscada de alguns torcedores antes do embarque para a cidade mineira. Porém, na noite desta quarta-feira (23), o clube, dentro de campo, conseguiu aliviar a crise.

Como visitante, o Furacão venceu o Flamengo por 1 a 0 e garantiu a vaga na final da Primeira Liga. A decisão, marcada inicialmente para 7 de abril, será contra outro time carioca – o Fluminense – e o Rubro-Negro novamente atuará longe da Baixada.

OPINIÃO - Luiz Augusto Xavier: Pipoqueiros finalistas

O gol que classificou o Atlético foi marcado por Marcos Guilherme. Até então sem se destacar no jogo, o meia-atacante acertou um belo chute de fora da área aos 16 minutos do segundo tempo, fazendo um golaço que garantiu o triunfo.

“A equipe estava muito abalada depois do Atletiba, perder em casa ninguém gosta, mas a gente confia muito na nossa capacidade e mostramos poder de reação”, afirmou o autor do gol, após o jogo. “A gente perdeu o Atletiba, mas o campeonato não acabou. Vamos brigar pelo titulo do Paranaense e da Primeira Liga”, prometeu Marcos Guilherme.

LANCE A LANCE: Veja como foi Flamengo x Atlético

Até o gol, no entanto, o Furacão sofreu com a pressão flamenguista. No primeiro tempo, os mandantes tiveram um desempenho superior, abusando das jogadas pelas laterais, atrás dos rubro-negros Pará e Eduardo. O goleiro Weverton fez defesas difíceis, evitando que o time carioca abrisse o placar. O Atlético tentava apenas alguns arremates de fora de área, sem direção.

Na etapa final, o Furacão melhorou ofensivamente e quem teve que trabalhar foi o goleiro flamenguista Paulo Victor. Após o gol, o Rubro-Negro voltou a passar sufoco, mas se defendeu bem e quase matou o jogo em contra-ataques rápidos, o que não ocorreu pela falta de precisão. No fim, comemorou a vaga na final da competição interestadual.

“O nosso time sofreu muito no domingo [no clássico Atletiba] e hoje [quarta-feira] deu a volta por cima. Estamos na final”, comemorou o atacante Walter.

Data indefinida

Inicialmente marcada para o dia 7 de abril, a finalíssima da Primeira Liga pode ter a data alterada. Isso porque no dia anterior está marcada a estreia do Fluminense na Copa do Brasil, fora de casa, contra a Tombense. Na semana seguinte, as duas equipes finalistas também jogam pelo mata-mata nacional.

Confira quem foram os destaques da partida:

Craque

Marcos Guilherme

Além do golaço, que garantiu o Furacão na final da Primeira Liga, o meia foi o motor atleticano no campo de ataque. Movimentou-se pelos dois lados do campo e cresceu de produção na segunda etapa, em que explorou sua velocidade para infernizar a zaga carioca.

Bonde

Marcio Araújo

O volante do Flamengo foi uma peça nula em campo e, além de não conseguir dar qualidade para a saída de bola da equipe carioca, não foi efetivo na marcação.

Guerreiro

Paulo André

O zagueiro foi preciso nas jogadas aéreas. Foi bem também nos cortes de cabeça nas jogadas laterais da equipe carioca, e no ataque, quase marcou o seu gol, após cabecear no canto de Paulo Victor em uma cobrança de escanteio.

Gols

2º tempo

0 x 1 (16 min) – Golaço do meia Marcos Guilherme, que dominou na entrada da área, e chutou forte de perna direita, no ângulo esquerdo do goleiro Paulo Victor.

Chave do jogo

O Furacão foi pior na primeira etapa, mas conseguiu segurar a pressão do Flamengo. No segundo tempo, o Atlético foi superior, e explorando os contra-ataques, criou as melhoras chances, e poderia ter saído de campo com um resultado mais elástico.

Cartões

Amarelos: Jadson e Pará (Atlético)

Próximo jogo:

Flamengo: Volta Redonda, no sábado (26), às 18h30, pelo Carioca

Atlético: Toledo, no domingo (27), às 16h, pela última rodada da 1ª fase do Paranaense

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]