Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Paraná recebe proposta para mandar jogo no Couto. Em 2017, clube enfrentou Atlético-MG na casa do rival
Paraná recebe proposta para mandar jogo no Couto. Em 2017, clube enfrentou Atlético-MG na casa do rival| Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

O empresário Naor Malaquias fez uma proposta ao Paraná para transferir o jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Botafogo, para o estádio Couto Pereira, do rival Coritiba. A oferta foi feita judicialmente.

Ou seja, Malaquias apresentou a proposta diretamente à juíza Janete do Amarante - o juiz José Wally Gonzaga Neto, do Tribunal Regional do Trabalho da 9.ª Região, responsável pelo Ato Trabalhista, acordo entre clube e Justiça do Trabalho para pagamento de débitos trabalhistas, está de licença paternidade. Agora, o empresário aguarda uma resposta, tanto do clube, como da juíza.

A Arena da Baixada, do Athletico, também foi sugerida pelo empresário como possível opção, mas os altos custos do estádio rubro-negro tornam o Couto a principal opção.

Tabela: confira os jogos e resultados da Copa do Brasil

A partida de ida será na próxima quarta-feira (10), no Rio de Janeiro. A volta ainda não está definida, mas deve ser entre 17 e 19 de março. Os detalhes financeiros da proposta de Malaquias estão em sigilo, mas envolvem algum tipo de divisão do lucro de bilheteria da partida.

Parte do dinheiro também seria destinado ao próprio Ato Trabalhista, acordo no qual a Justiça do Trabalho fica com 20% de toda receita paranista. Malaquias foi o responsável por levar o jogo entre Paraná e Atlético-MG, pela Copa do Brasil 2017, para o Couto Pereira. Na ocasião, o Tricolor venceu por 3 a 2.  

"Acredito que desta forma a gente pode reaproximar a torcida com o time. Torço para o juiz entender a ideia e para que os paranistas percebam a importância desse jogo", diz Malaquias. Procurado, o Paraná diz que ainda não foi notificado pela Justiça sobre a proposta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]