Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
No app Be On, usuários podem relatar casos suspeitos, confirmados curados ou óbitos, assim como podem consultar a quantidade de casos na sua região.
No app Be On, usuários podem relatar casos suspeitos, confirmados curados ou óbitos, assim como podem consultar a quantidade de casos na sua região.| Foto: Bigstock

Preservar vidas. Essa é missão do aplicativo Be On, que nasceu em abril de 2018 com o objetivo de alertar vizinhanças sobre diversos riscos que poderiam prejudicar moradores de uma região – seja com relação à segurança, incêndios ou problemas de trânsito. Os alertas, emitidos pelos próprios usuários, geram notificações nos celulares de todos que possuem o aplicativo no raio de 1km.

Com as ameaças de saúde relativas à Covid-19, duas atualizações foram integradas ao aplicativo para , o que fez com que o número de usuários ativos aumentasse em 2.437%: o alerta de pessoas com o novo coronavírus e o pedido de ajuda comunitária.

No alerta da doença, os usuários podem relatar casos suspeitos, confirmados curados ou óbitos, assim como podem consultar a quantidade de casos na sua região.

A atualização foi realizada em apenas três dias: no dia 11 de março, a equipe decidiu trabalhar na ideia. No dia 14, ela já estava disponível. “Como a ferramenta foi desenvolvida para momentos de crise, nós inserimos uma aba a mais no app, relativo aos alertas específicos do coronavírus. O Be On também pode ser usado para malária, dengue ou qualquer outro surto”, explica Gustavo Caleffi, CEO do Be On.

Além dos alertas via celular, a empresa também disponibilizou um site em que é possível acompanhar os casos reportados em todo o país.

Desde o primeira atualização, a base usuários passou de 41 mil a cerca de 48 mil, além de aumentar em 2.437% o número de usuários ativos.

Ajuda comunitária

Outra frente de ajuda do aplicativo com relação à pandemia tem a intenção de ajudar pessoas do grupo de risco a não se exporem a riscos, bem auxiliar pessoas suspeitas a não saírem de casa.

A aba “Ajuda Comunitária” também foi desenvolvida em três dias, e tem como objetivo conectar voluntários a quem precisa de ajuda.

“Muitas pessoas colocaram cartazes nos elevadores dos prédios pedindo ajuda. Isso tem um universo de cerca de 10 pessoas candidatas. No Be On, quanto maior a base de usuários, mais pessoas eu tenho ajudando”, relata Gustavo.

O aplicativo é gratuito e está disponível na App Store e na Play Store.

Be On

O aplicativo Be On foi criado em 2018 dentro da área de inovação da empresa Squadra - Gestão de Riscos, no mercado há 15 anos. Ele nasceu a partir da necessidade de aumentar a segurança em bairros, a princípio compartilhando informações entre porteiros.

Com a percepção de que a preservação de vidas ia além da segurança, o aplicativo foi desenvolvido para abranger diferentes frentes. Assim como no caso do novo coronavírus, ele ganha atualizações conforme a necessidade da comunidade. Nas eleições de 2018, por exemplo, ele foi atualizado para enviar notificações relativas a crimes eleitorais.

Gustavo projeta que o app ganhe versões em inglês e espanhol dentro de um mÊs, dentro de uma perspectiva de internacionalizar o projeto. “Ele é bem complexo, atende muitas frentes, mas a lógica é a mesma: comunicar e proteger pessoas que estão em uma mesma região e que se desconhecem”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]