Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Como a presença digital ajudou a impulsionar as vendas na pandemia
| Foto: Tima Miroshnichenko/Pexels

Levar o dia a dia das operações para o ambiente digital foi um desafio particular para as empresas de pequeno e médio porte durante a pandemia. Os resultados positivos desse esforço, porém, já começaram a aparecer. É o que afirma uma pesquisa da Hostgator, plataforma de hospedagem de sites que mostra que 64% das micro, pequenas e médias empresas afirmaram ter aumentado as vendas graças à maior presença digital.

O estudo “Presença Digital” ouviu 5 mil empresas, todas usuárias da plataforma, para entender como os negócios passaram a ver sua presença digital desde o início da pandemia de Covid-19, em março de 2020. A conclusão é de que mais da metade dos pequenos negócios brasileiros e dos microempreendedores individuais (58%) investiram mais para expandir a presença online, ou seja, o protagonismo em sites, redes sociais e outras plataformas digitais. As empresas que perceberam aumento nas vendas, por sua vez, fazem parte deste grupo que dedicou mais recursos ao assunto. Além dos incrementos nas vendas, as empresas com maior relevância no digital também perceberam o aumento de acessos. Ao todo, foram 42% delas.

Estabelecer uma presença digital sólida, no entanto, se mostrou um caminho cheio de percalços para boa parte dos empreendedores. Ao reconhecerem a importância do ambiente online em seus negócios, esses empresários encaram desafios particulares no início de suas jornadas digitais.

Para Ricardo Melo, vice-presidente de marketing da HostGator para as Américas, a pesquisa serviu de base para que fosse percebida a necessidade de maior profissionalização e investimento em marketing digital a longo prazo. “Apesar de muitos terem reportado que tiveram ganhos ao investir em campanhas online, vários outros comentaram que a maior dor continuava a ser vender na internet. Fazer marketing online não é tão simples quanto pode parecer, e muitas coisas que funcionam no início, às vezes param de trazer resultados depois de alguns meses”, afirma.

Elas estão no digital

O levantamento indica que praticamente todas as empresas já estão hoje no ambiente online. Entre 97% das empresas que afirmaram ter um modelo de negócio digital, 65% descreveram sua presença como totalmente online e 32% afirmaram ser híbridos, equilibrando a atuação online com as lojas físicas. Ao constatar que uma parcela significativa das empresas concilia a atuação física e digital, a pesquisa também abre precedentes para que seja analisado o potencial do chamado modelo híbrido dos negócios daqui para frente.

Presença digital
Híbridos: 32% das empresas brasileiras atuam online, mas também em lojas físicas.| Bigstock

Segundo Melo, para decidir como equilibrar a presença em ambos os canais, os empreendedores devem analisar as preferências de seus consumidores. “Cada empresa precisa avaliar o que seu público-alvo necessita. Oferecer múltiplas opções de compra on e offline é muito atrativo, mas precisa fazer sentido do ponto de vista financeiro. Minha dica é sempre pensar primeiro no cliente, entender o que ele deseja e o que irá fazê-lo fidelizar. Em seguida, entenda economicamente o que é viável para o seu negócio e o que o tornará competitivo”, diz. “Não existe receita pronta para o sucesso. Cada negócio precisa avaliar sua realidade e recursos para dar o próximo passo”, conclui o executivo.

Os bons resultados também levam boa parte das empresas a ampliar a intenção de colocar ainda mais recursos nessa canalidade. Segundo a pesquisa, 64% das companhias já afirmam que irão aumentar investimentos na digitalização como um reflexo direto do maior esforço por ampliar a importância do digital em suas estratégias de negócio, mesmo após a pandemia. Mas para continuar tendo sucesso, o próximo passo é desenhar estratégias de marketing digital de longo prazo, focando não apenas na aquisição de novos clientes.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]