Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
A startup utiliza inteligência artificial para criar receitas sem ingredientes de origem animal.
A startup utiliza inteligência artificial para criar receitas sem ingredientes de origem animal.| Foto: Divulgação

A NotCo, foodtech chilena que utiliza tecnologia para produzir alimentos à base de vegetais, foi eleita a única startup latino-americana entre as 100 de inteligência artificial mais promissoras do mundo pela consultoria CB Insights.

A NotCo utiliza algoritmos de inteligência artificial para gerar receitas de seus produtos por meio da combinação de ingredientes que substituam a carne e o leite, por exemplo. Na semana passada, a startup anunciou o lançamento de um hambúrguer vegetal no Chile, em parceria com o Burger King. O produto deve chegar ao Brasil ainda este ano, mas sem a parceria com a rede de fastfood.

Fundada em 2015, a foodtech já levantou US$ 33 milhões em duas rodadas de investimento, realizadas em 2017 e 2019. Os investidores são o fundo Bezos Expeditions (de Jeff Bezos, fundador da Amazon), the Craftory (que investe em negócios de bens de consumo com causa), Kaszek Ventures (investidora em empresas de tecnologia de alto impacto), a aceleradora americana IndieBio (focada em biotecnologia), e o fundo Maya Capital (liderado por Lara Lemann e Monica Saggioro).

“A NotCo nasceu de nossa convicção de que já temos recursos, conhecimento científico e tecnologia de ponta prontos para revolucionar o setor de alimentos, assim como já acontecia em outras indústrias. O relatório é mais um reconhecimento de que isso é possível. Estamos cada vez mais próximos de tornar os alimentos plant-based acessíveis, melhores e preferidos pela maioria das pessoas”, afirmou Matias Muchnick, CEO da startup chilena, ao GazzConecta

Além da NotCo, outras startups consideradas promissoras foram a norte-americana Lemonade, de seguros; a israelense Healthy.io, de diagnósticos; a britânica Synthesia Technologies, de geradora de deepfakes; e a Konux, de manutenção ferroviária. Confira aqui a lista completa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]