Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Pulseira desenvolvida pela startup Helpbox gerencia e fornece dados essenciais de idosos 24 horas por dia.
Pulseira desenvolvida pela startup Helpbox gerencia e fornece dados essenciais de idosos 24 horas por dia.| Foto: Divulgação

Durante a pandemia a startup brasileira focada em cuidados de idosos Helpbox criou um dispositivo inteligente que otimiza o atendimento à pessoa idosa, com monitoramento 24 horas por dia, por meio de inteligência artificial.

Trata-se de uma pulseira que gerencia e fornece dados essenciais, tais como movimentação atípica, controle de sono, mudança de decúbito, monitoramento cardíaco, prontuário médico e até mesmo controle do cotidiano do idoso.

"Por meio dessas informações, nossa equipe de enfermagem consegue detectar desvios e contatar o paciente proativamente em viva-voz, sem que ele necessite apertar botões ou realizar ligações", explica Adriano Goes, fundador da Helpbox.

Além da central de monitoramento em tempo real, a Helpbox possui um aplicativo para a família, dentro do qual é possível abrir comunicação com o assistido, ver sua localização, configurar alertas e acompanhar as atividades do idoso, entre outras funcionalidades.

A empresa possui casos de sucesso de pacientes de Alzheimer, por exemplo, cujo alarme de monitoramento cardíaco apresentava registros fora do padrão. A central de atendimento encaminhou o caso para a equipe médica, que solicitou exames mais detalhados, e estes detectaram uma bactéria no pulmão - a causadora do aumento da frequência cardíaca. Com o diagnóstico, o idoso passou a ser medicado adequadamente e não apresentou mais a arritmia.

Além de ajudar as famílias a manterem o bem-estar e a segurança do idoso, outro ponto importante é que a ferramenta foi desenhada também para obter dados relevantes para hospitais e planos de saúde.

Segundo Goes, a obtenção de informações assertivas faz parte da estratégia de aprimoramento para garantir mais excelência nos cuidados com este público, considerado extremamente vulnerável.

"Esta é mais uma oportunidade para maximizar nossas receitas", esclarece o executivo. "Nosso intuito é alcançar 61 mil idosos no Brasil, considerando primeiramente as pessoas com mais de 65 anos, pertencentes às classes A e B. Ao bater esta meta, queremos tornar o equipamento mais acessível e mirar as classes C e D também", esclarece Goes, lembrando que o modelo de negócios é baseado em assinaturas.

Hoje, a Helpbox reúne clientes nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco. "Já recebemos proposta de expansão para Portugal, Colômbia, Argentina e Chile. Porém, ainda estamos solidificando a companhia em solo brasileiro e consideramos que não é o momento", conclui.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]