Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Escritório da Renault dentro do Cubo, o maior hub de inovação da América Latina.
Escritório da Renault dentro do Cubo, o maior hub de inovação da América Latina.| Foto: Marcelo Machado de Melo / Divulgação

Inovação é a palavra da vez no setor automobilístico. E diante de um cenário cada vez mais competitivo em tecnologia, a Renault Brasil firmou importantes alianças em 2019 para tornar os processos produtivos mais eficientes e as fábricas mais sustentáveis. Entre essas parceiras está uma com o Cubo Itaú, outra com o Senai e uma com a Universidade Positivo, em Curitiba. Para 2020, a montadora afirma que os projetos serão expandidos e novas instituições e hubs devem ser buscados pelo país.

De acordo com Ricardo Mendes, gerente de transformação e negócios da Renault, a montadora inaugurou o espaço de inovação no Cubo, maior hub de empreendedorismo da América Latina, em abril para buscar novos modelos de negócio e novas formas de trabalhar. “As startups nos ajudam a solucionar dores internas de forma rápida. Já firmamos parceria com 20 jovens empresas e aplicamos seis projetos em parceria com o hub”, contabiliza o executivo.

Entre as startups contratadas pela Renault estão a Kenoby, de recrutamento e seleção, e a Linte, de tecnologia para o setor jurídico. “Antigamente, a gente selecionava candidatos pelo Linkedin e fazia a triagem final com os currículos em papel. O processo era bem antigo e demorado”, comparou Mendes, comemorando a eficiência ganhada nas novas parcerias.

Além da presença no Cubo, a Renault também investiu em parcerias com instituições de ensino para desenvolver protótipos em parcerias com os estudantes. Em agosto, a montadora inaugurou um laboratório de inovação em Curitiba (PR), dentro da Universidade Positivo, com foco na eficiência energética para motores a combustão.

A fabricante francesa também aposta na cocriação com os estudantes do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) de Curitiba. “A velocidade de criação com a universidade é diferente [da velocidade com os hubs]. Quando temos tempo para desenvolver uma solução, recorremos à pesquisa. Os universitários do Senai, por exemplo, criaram uma garagem com placas que armazenam luz solar”, exemplificou Mendes.

Com as parcerias, o executivo garante que toda a equipe da Renault passou a pensar e trabalhar de forma diferente. E a mudança, já pode ser vista. “Quando a equipe saiu do Cubo, o choque foi imediato. Adotamos a metodologia ágil em nossa rotina e descobrirmos que há vida fora da empresa. É uma nova forma de trabalhar”, explicou.

Em 2020, Mendes pretende aumentar a presença no Cubo, buscar parcerias com outros ecossistemas, principalmente em Curitiba, e trabalhar melhor com universidades para levar a pesquisa para dentro da indústria. “Queremos entender o sistema de criação dentro de instituições de ensino e trabalhar melhor com os estudantes”, disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]