Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Confundadores da startup de mobilidade VOLL.
Confundadores da startup de mobilidade VOLL.| Foto: Divulgação/VOLL

A VOLL, startup para gestão de transporte corporativo, recebeu um aporte de R$ 4 milhões da gestora de venture capital Iporanga Ventures e da Wayra, hub de inovação aberta do grupo Telefónica e iniciativa da Vivo. Com o investimento, a empresa quer acelerar seu crescimento, com foco no desenvolvimento das áreas comercial e internacional.

"Estamos crescendo o número de clientes neste momento de crise por dois motivos: o primeiro tem a ver com as empresas de serviços essenciais que passaram a nos contratar para transportar funcionários que antes se locomoviam de transporte público. Em seguida, está a preocupação das empresas em reduzir custos", disse Luciano Brandão, CEO e um dos fundadores da startup.

O empreendedor antecipa que, neste ano, a VOLL vai lançar uma nova mobilidade de transporte, sinérgica à terrestre — mas ainda não revelada. "Já estamos em fase final de testes e em breve compartilharemos com o mercado algumas novidades que devem criar um novo conceito de mobilidade para as empresas", afirmou Brandão.

Criada em 2017, a plataforma compara preços de corridas em diferentes aplicativos, entre eles Uber, Cabify, Easy, Wappa e 99, e promete uma economia média de 30% para as empresas. No portfólio de clientes da startup estão Sodexo, McDonald’s, IBM, PepsiCo, Estácio, Klabin, Cargill, Heineken e ArcelorMittal.

Para a Iporanga Ventures, o principal diferencial da VOLL é a integração entre táxi e Uber. "O investimento na VOLL faz parte da estratégia da Iporanga de investir em empresas que tragam benefícios tangíveis para os clientes e que sejam focadas em design de produto e experiência do usuário", disse Renato Valente, sócio do fundo de venture capital.

A mesma avaliação foi feita pela Wayra. A Vivo, inclusive, é cliente da startup. "A mobilidade corporativa eficiente tem se tornado a cada dia algo mais essencial para a gestão de custos nas empresas", complementou Carolina Morandini, head de portfólio e scouting e country manager interina da Wayra Brasil.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]