Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
20 startups brasileiras apresentaram suas propostas ambientais na COP26
20 startups brasileiras apresentaram suas propostas ambientais na COP26| Foto: Unsplash, Markus Spiske/Reprodução

A Conferência das Partes para o Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), é considerado o principal evento climático do ano. Em sua 26ª edição, a COP26 trouxe para a mesa importantes agentes para a discussão do futuro do planeta. Na lista estão representantes de governos, organizações civis, jovens e, é claro, empresas.

Todo o engajamento tem como objetivo central definir os melhores caminhos para frear as mudanças climáticas e manter o aquecimento global abaixo do 1,5 grau. Não é um caminho fácil. Mas há um número crescente de companhias dispostas a embarcar nessa missão — até mesmo as pequenas. Prova disso é que 20 startups brasileiras apresentaram suas propostas ambientais na COP.

Em comum, todas elas foram selecionadas pelo programa Net Zero 2050, de aceleração e incentivo a empresas de impacto socioambiental promovido pelo estado de São Paulo em parceria com o consulado britânico. As 20 startups brasileiras fazem parte de um grupo de 35 empresas que apresentaram suas soluções em Glasgow, na Escócia, em um evento online. Conheça cada uma delas:

B4Waste

Em um contexto em que 34% da produção mundial de alimentos é desperdiçada anualmente, a B4waste surge como alternativa ao desperdício indevido. A startup atua como um marketplace digital que conecta indústrias e varejistas com consumidores  oferecendo produtos próximos do vencimento por preços atrativos, contribuindo para a diminuição do desperdício. O desconto mínimo nos produtos é de 50%.

Green Mining

A Green Mining atua na logística reversa de materiais recicláveis para a indústria. A empresa usa a tecnologia blockchain para rastrear, acelerar e administrar a coleta e todo o percursos dos materiais recicláveis recebidos. A proposta é ajudar essas empresas a atuarem numa das pontas mais complicadas para companhias que desejam se tornar mais sustentáveis: o descarte de materiais. Além da tecnologia, a Green Mining também atua em parceria com coletivas de catadores de materiais recicláveis, gerando renda e oportunidade em seis estados do Brasil.

Morada da Floresta

A empresa de impacto enxerga valor na educação ambiental como verdadeira agente de transformação. A Morada da Floresta pretende revolucionar a maneira como as pessoas enxergam seus comportamentos e atitudes em relação ao meio ambiente e o descarte de materiais na natureza. Entre as soluções criadas pela startup estão sistemas de compostagem de resíduos orgânicos e produtos sustentáveis que substituem absorventes femininos e fraldas descartáveis.

Óleoponto

A Óleoponto se propõe a eliminar o problema do descarte incorreto de óleo de cozinha. Para isso, a startup criou um sistema inteligente capaz de transformar esse resíduo comum nas casas brasileiras em benefícios para quem o entrega, em um esquema de programa de vantagens. Assim, a empresa garante o descarte correto e a conscientização sobre o tema.

Plantae Ecossistemas

A Plantae é uma startup do Tocantins que olha para o problema da arborização urbana. A proposta da empresa é unir empresas e pessoas interessadas em melhorar o plantio de árvores em suas cidades e assim contribuir para a regeneração ambiental e captura de carbono. Pessoas e empresas podem contribuir financeiramente para a compra de mudas ou também obter renda, quando se tornam plantadores voluntários.

Recigases

A Recigases foi fundada em 2007 com o objetivo de introduzir um modelo de economia circular em gases refrigeradores. A empresa faz isso por meio da compra de gases de pessoas dispostas a vender alugando recolhedoras e cilindros ou, ainda, vendendo gás regenerado para quem quer ter acesso a opções mais limpas.

Endelevo

A Endelevo quer levar sustentabilidade para prédios nas cidades. Algumas das soluções da empresa são baseadas em conectar proprietários de prédios comerciais  a uma gama de fornecedores que podem ajudar as edificações a se tornarem mais sustentáveis. Como exemplo, está a aproximação com empresas que comercializam painéis solares para geração de energia elétrica. Além disso, a startup também desenvolve projetos de arquitetura para transformar fachadas ventiladas e jardins verticais.

Nanotex

A Nanotex desenvolve produtos que podem ser aplicados em superfícies para diferentes fins, sempre com o uso da nanotecnologia. Um exemplo está na NSelect, um coletor solar de alto desempenho que absorve até 95% dos raios solares que são convertidos em energia.

PROSUMIR

A PROSUMIR pretende combater o desperdício de energia. Para isso, a empresa criou uma Turbina Redutora de Pressão (PRT) que substituiu as válvulas redutoras de pressão e aproveita o vapor dispensado por essas válvulas, transformando-o em energia limpa.

Quanta Energy

O foco da Quanta Energy é o biogás. A startup atua como um fornecedor de tecnologia de tratamento de resíduos que transforma resíduos residenciais e corporativos em biogás e fertilizantes que, posteriormente, podem ser transformados em energia elétrica.

Tradenergy

A Tradenergy é um marketplace de energia. Por meio de uma plataforma digital, a empresa quer conectar produtores de energia renovável e potenciais compradores, permitindo a venda de energia aos consumidores, inclusive para carros, motos, scooters e bicicletas elétricas. Pelo aplicativo, o consumidor indica de quanta energia precisa e encontra seu fornecedor.

Ecomilhas

A Ecomilhas é, como supõe o nome, um programa de milhas. Um consumidor pode ter direito a descontos em produtos e serviços de empresas parceiras à startup pelo simples fato de ter escolhido adotar modais sustentáveis para o deslocamento. Além disso, empresas também podem compensar o carbono emitido pela plataforma.

Entech Renováveis

A ENTECH quer facilitar a mobilidade limpa ao oferecer toda uma rede de abastecimento para carros elétricos. A empresa deve oferecer a análise da viabilidade da construção de uma operação de energia elétrica e consultoria para operações de geração distribuída.

Ezvolt

A EZVOLT mira os carros elétricos, com uma rede de recarga com mais de 180 postos pelo país, entre edifícios comerciais, residenciais e locais públicos.

Scipopulis

A Scipopulis trabalha para criar “cidades inteligentes”, e faz isso com análise, processamento, integração e visualização de dados. Fundada em 2014, a startup quer construir cidades mais humanas, sustentáveis e acessíveis e já está presente em 10 cidades da América Latina com a sua plataforma de análise de dados. Entre os clientes da Scipopulis estão entidades como Banco Mundial, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a cidade de São Paulo.

TrackLi

A TrackLi é uma plataforma de gestão de frotas, que permite o monitoramento e automatização de dados em tempo real e de forma remota. A sustentabilidade está em trazer mais eficiência e permitir uma análise por Inteligência Artificial (IA) para verificar o melhor uso para veículos elétricos.

CEM

O CEM olha para a segurança humana como uma necessidade que surge como consequência direta das mudanças climáticas e desastres ambientais. O CEM é um sistema que viabiliza a comunicação entre as equipes do Poder Público (Defesa Civil, Bombeiros, etc) e as pessoas que se encontram em áreas de risco. Sendo assim, é uma ferramenta de localização, alerta, informação, roteamento e monitoramento da população em áreas de risco, além da coordenação da comunicação dessas pessoas às equipes de resgate.

MeteoIA

A MeteoIA usa, como diz seu nome, IA para gerar melhores informações climáticas. A ideia é prever a dependência do clima em diferentes aspectos da sociedade e ajudar entidades públicas e empresas privadas que precisam desse tipo de informação de forma antecipada em suas tomadas de decisão. Atualmente, o sistema MIA é utilizado pelo estado de São Paulo para obter previsões relacionadas aos recursos hídricos e produção de usinas hidrelétricas.

Sipremo

A Sipremo faz previsões e monitoramento de desastres naturais e eventos de mudanças climáticas com base em uma solução de IA que ajuda empresas e governos a lidarem com os desafios do novo contexto climático do planeta.

Wiiglo

Wiiglo é uma startup de análise de dados para cidades. A ideia é facilitar a criação de smart cities, especialmente solucionando desafios de mobilidade urbana, como congestionamentos. A Wiiglo oferece uma tecnologia que coleta, estrutura, armazena e cataloga um grande volume de dados das cidades e gera novas informações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]