Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ana Bastos, CEO da Urbem
Ana Bastos, CEO da Urbem| Foto: Urbem/Divulgação

A Urbem, startup especializada na produção de estruturas de madeira de pinus para edificações, anunciou nesta quarta-feira (8) o recebimento de um aporte de R$ 103 milhões. Com o investimento, a construtech deixa de ser uma unidade de negócio dentro da Amata (grupo que gerencia florestas para extração de madeira) e passa a ser uma empresa independente.

Quatro sócios da Amata – Guilherme Leal, Luiz Seabra, Marili Mattos e Dario Guarita Neto – foram responsáveis por 76% dos investimentos (R$ 73 milhões) na Urbem. Os outros R$ 30 milhões foram levantados pela DX Ventures, fundo de investimento criado pela fabricante de materiais de construção Dexco (novo nome da Duratex).

O foco da Urbem é na chamada madeira engenheirada – peças de madeira capazes de exercer funções de sustentação nas edificações, substituindo vigas e pilares de concreto ou metal. Esse modelo de engenharia reduz custos e resíduos e se alinha às boas práticas ambientais, uma vez que a madeira utilizada vem de florestas plantadas.

O investimento de R$ 103 milhões será aplicado na fábrica da Urbem em construção em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba. A fábrica, com previsão para entrar em operação no segundo semestre de 2022, terá capacidade de produção de 100 mil m³/ano, equivalente a 500 mil m² em área construída, entre estruturas CLT (cross-laminated timber) e MLC (madeira lamelada colada) de pinus.

“Esse cenário posiciona a Urbem como uma importante produtora de madeira engenheirada em escala global, vindo ao encontro do aquecido mercado internacional e do amadurecimento do mercado brasileiro”, diz Ana Bastos, CEO da empresa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]