Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Escritórios modernos, clássicos ou descontraídos: 8 projetos para se inspirar
| Foto: Fernando Zequinão

Para que o trabalho se torne mais agradável e estimulante, a decoração e funcionalidade dos ambientes corporativos são ótimos aliados. Quem disse que ambientes de trabalho precisam ser monótonos?

Pelo contrário, é viável projetar escritórios modernos e descontraídos, que reflitam a trajetória e o DNA da empresa, das mais clássicas às mais jovens startups.

Siga a HAUS no Instagram!

Confira oito projetos corporativos que foram apresentados no Anuário HAUS 2020 e que trazem ideias de ambientes funcionais e aconchegantes, que respeitam a identidade das organizações que sediam.

Integração visual

O escritório de advocacia assinado pela designer de interiores Beth Egas tinha como principal conceito a integração visual. Para isso, a profissional optou por utilizar painéis ripados em madeira, que se repetiram por todos os ambientes, e divisórias em vidro do piso ao teto, que facilitaram a comunicação visual.

| Dea Fylyk

“Os painéis ripados fazem um jogo de luz e sombra, em que a iluminação por vezes está oculta, mas cria seus efeitos”, completa.

| Dea Fylyk

A abundância de luz natural aliada ao projeto luminotécnico foram essenciais para criar um ambiente aconchegante. Outro item que acentuou a modernidade do escritório foi a escolha da cor preta nos detalhes, como nas decorações e nos tampos de mesa em mármore italiano.

| Dea Fylyk

Escritório com jeito de lar

Já imaginou um escritório tão aconchegante que cria-se a sensação de lar? Esse foi o conceito utilizado pela designer de interiores Bruna Justi ao ampliar  a quantidade de lojas desta imobiliária. Para possibilitar a sensação de comodidade, foi primordial a utilização de elementos como o porcelanato de mármore no piso e madeirado nos revestimentos e paredes.

| Fernando Zequinão

“As cores são neutras e têm um subtom quente que contrasta perfeitamente com o preto presente nos móveis e luminárias”, explica. O toque de modernidade fica visível também nos acabamentos, como no dourado das luminárias feitas sob medida e nas persianas motorizadas.

| Fernando Zequinão

Minimalista e industrial

Idealizar o novo escritório da Olist em um espaço com mais de 5000 m² foi o desafio da Arquea Arquitetos. O projeto aposta no ambiente integrado e na arquitetura minimalista, em que a cor branca, aliada às linhas curvas, cria continuidade e suavidade.

| Eduardo Macarios

"A sensação de integração, que já existente devido ao vão central, é ampliada com a retirada dos forros que valorizam o pé direito alto", explica o arquiteto.

| Eduardo Macarios

A abundância de luz foi um pedido do cliente. Para isso, no piso inferior, onde havia pouca iluminação, foi instalada uma floreira iluminada com mais de 60 m.

Versatilidade

A arquiteta Flávia Sandy, da FS Arquitetura, projetou a nova sede do escritório que leva seu nome, uma sala comercial de 40m², e teve como proposta um ambiente de trabalho versátil. Para isso, foram utilizadas lâminas de vidro que podem ser configuradas de diferentes maneiras, possibilitando o fechamento da área quando for necessário.

| Eduardo Macarios

Os detalhes personalizados exclusivamente para o ambiente, como as luminárias e os painéis em mármore, tornam o projeto sofisticado e moderno.

| Eduardo Macarios

As obras de arte do artista plástico Fernando Canalli finalizam o ambiente com um toque de descontração.

| Eduardo Macarios

Vista para a cidade

O projeto corporativo da arquiteta Juliana Miranda é contemporâneo e tem um bom aproveitamento da área de 90 m², isso devido à realocação dos móveis. Para integrar a atemporalidade ao escritório foi utilizada uma combinação piso de porcelanato marmorizado e painéis de madeira.

| Andre Jung

“Foram adicionados poucos elementos ao ambiente entre marcenaria e decoração - o resto ficou por conta da linda vista para a cidade”, afirma. O pé direito duplo da entrada, as janelas amplas e a parede de vidro em uma das salas criam a sensação de amplitude e ainda aproveitam a entrada de luz natural.

| Andre Jung

Itens de decoração de propriedade do cliente também foram incorporados ao projeto. “O cliente tinha uma placa de acrílico com o nome do escritório que foi usada em todas as salas que teve até então. A pedido dele, pelo valor emocional, a mesma foi mantida e fixada na sala da equipe, como lembrança de toda a sua trajetória”.

| Andre Jung

Identidade jovem

Karine Senra projetou a reforma e expansão desse escritório de advocacia para ser um espaço com uma identidade jovem e profissional expressados na composição. Para chegar a esse resultado foram utilizadas mesclas de texturas e materiais, como o cinza, que aparece no piso e no cimento queimado das paredes, os painéis e ripados em MDF e os tons nudes.

O escritório também recebeu divisórias em vidro e estruturas de alumínio, o que permite a impermeabilidade do ambiente e facilita a comunicação interna.

Cada área recebeu um elemento que retrata a personalidade do escritório, com destaque para a sala da advogada-diretora que ganhou detalhes em tons rose gold a fim de ressaltar a feminilidade.

| Francis Larsen

Dispensando o tradicional

Com uma linguagem moderna e diferenciada, o projeto da arquiteta Thais Rosot apresentou uma proposta pouco convencional a consultórios da área da saúde. As vigas e os pilares aparentes foram destacados com cimento queimado e a cor preta foi incorporada a fim de contrastar com os demais tons neutros e fugir da monotonia em projetos do segmento.

| Fernando Zequinão

“A inspiração foi o design escandinavo, que vale-se das ideias minimalistas, linhas retas e poucos elementos”, explica.

| Fernando Zequinão

Para finalizar a composição, foram adicionadas cadeiras de design, obras de arte conceituais e peças de serralheria, destacadas por uma iluminação que torna o ambiente mais convidativo.

| Fernando Zequinão

Segmentando funções

Neste escritório de 40 m² o arquiteto Rodolfo Fontana inseriu um cubo central de marcenaria para melhor aproveitar o espaço e para obter uma divisão das áreas: recepção, biblioteca, produção e reunião.

| Matheus Kaplun

“O cubo resolve as quatro áreas e libera o perímetro da sala. Surge assim uma promenade architecturale em torno da icônica peça central de marcenaria. Um monolito de distintas funções. As paredes livres podem receber inúmeras obras de arte, como em uma galeria”, elucida o arquiteto, acrescentando que essa solução permitiu poucas intervenções estruturais na sala alugada.

| Matheus Kaplun

Para gerar a privacidade momentânea e ajustar o índice solar necessário na sala de reuniões, pesadas cortinas de veludo dão função e caráter à sala. O projeto priorizou materiais sóbrios e discretos, marcenaria em imbuia, piso de microcimento e mármore gris. O toque de cor ficou a cargo de itens soltos e da cortina em veludo.

| Matheus Kaplun
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]