i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Opinião

Arquiteto que estudou vida e obra de Lolô Cornelsen se despede do mestre modernista

  • PorGuilherme de Macedo, especial para HAUS*
  • 05/03/2020 20:49
Lolô Cornelsen e Guilherme de Macedo em frente a Residência Belotti. Foto: Guilherme de Macedo/Arquivo pessoal
Lolô Cornelsen e Guilherme de Macedo em frente a Residência Belotti. Foto: Guilherme de Macedo/Arquivo pessoal| Foto:

Desbravando Lolô

Eu conheci o Lolô em 2010, na época da faculdade nos meus primeiros anos de arquitetura. A inquietude me fez, juntamente com alguns colegas, criar um blog para falar sobre arquitetura. O compromisso era fazer um post semanal. O desafio era encontrar temas interessantes. Em uma dessas buscas, eu encontrei sobre o Lolô e fiquei fascinado com a quantidade de feitos que ele tinha realizado... casas interessantíssimas, estádios de grande porte, autódromos de renome, estradas importantes, uma vasta produção arquitetônica e obras civis, não muito divulgadas em meio ao universo acadêmico.

Isso me motivou a ir lá na sua casa e bater a sua porta na intenção de conseguir uma entrevista para o nosso blog. Felizmente ele estava lá e me surpreendeu com a sua receptividade. Parecia algo normal e comum estudantes entrarem e saírem da sua casa. Em pouco tempo estávamos tomando café e falando sobre arquitetura. Aproveitei a oportunidade e fiz o convite para ele palestrar na minha universidade. Ele aceitou. O blog, depois de um tempo, acabou, mas de lá pra cá fui me encantando cada vez mais com cada descoberta que fazia sobre o Lolô.

Descobri que ele foi jogador de futebol (bi-campeão paranaense pelo Atlético Paranaense nos anos 40), descobri que ele inventou a caixa de brita (improvisando para corrigir acidentes na pista de Estoril), descobri que ele desenhou o uniforme da Polícia Rodoviária do Paraná (aquele de cor grená com quepe e coturno), descobri o quanto ele amava sua esposa e seus filhos. Em 2014 eu me formei arquiteto e urbanista e, na procura de um lugar para montar o escritório, encontrei uma das casas projetadas por ele, a Residência Belloti, na Dr. Faivre, a qual tinha acabado de ser restaurada e estava aberta ao público. Tive a oportunidade de ter uma pequena sala lá, onde pude levar o Lolô já com seus noventa e tantos e receber a sua bênção.

Casa Belotti é um dos ícones sobreviventes da obra de Lolô em Curitiba. Foto: Guilherme de Macedo/Arquivo pessoal
Casa Belotti é um dos ícones sobreviventes da obra de Lolô em Curitiba. Foto: Guilherme de Macedo/Arquivo pessoal

A Casa Belotti recebia estudantes de muitos lugares querendo saber mais sobre a obra e seu autor. Geralmente era eu quem os guiava apresentando os detalhes construtivos e arquitetônicos do projeto e, em algumas ocasiões, conseguia levar o próprio Lolô para falar diretamente com eles. Acho que foi a partir daí que surgiu a vontade de escrever um livro sobre a vida e obra dele. Na época estava escrevendo outro livro, sobre os prédios de Curitiba. Então deixei essa ideia para um plano posterior.

Em 2017 iniciei o projeto por meio da Fundação Cultural de Curitiba, onde a partir daí tive a oportunidade de pesquisar e conhecer mais a fundo sobre as suas obras e projetos e o quanto ele foi intenso em cada etapa de sua vida. Foi intenso ao chocar a arquitetura curitibana com suas casas modernas, foi intenso ao desbravar o Paraná implementando grandes obras, foi intenso quando precisou trabalhar fora de sua cidade projetando hotéis, autódromos e complexos turísticos em Portugal e na África, foi intenso quando voltou e acreditou que poderia fazer do Paraná um grande estado, bolando ideias para o seu desenvolvimento. Lolô foi intenso também em seus últimos dias, pintando quadros e modelando esculturas de pão em sua casa.

Obrigado, Lolô.

Foto: Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

SERVIÇO

O livro "Lolô Cornelsen: vida e obra" será lançado em junho de 2020 no Paço da Liberdade com data a confirmar.

Mais informações em @lolocornelsenvidaeobra e @lonaarquitetos.

*Guilherme de Macedo é arquiteto e urbanista, sócio fundador do Lona Arquitetos e um dos autores do projeto multiplataforma "Prédios de Curitiba".

Conteúdo editado por:Luan Galani
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.